5 destinos para fugir da alta do dólar

A instabilidade política brasileira está fazendo com que o dólar dispare atingindo cotações acima de R$ 5! Para ajudar o viajante no planejamento da próxima viagem (que será logo, se Deus quiser!), o Viajar é Vida destaca 5 destinos para fugir da alta do dólar.

É fato que essa subida impacta no turismo, deixando tudo mais caro, especialmente para destino dos Estados Unidos e Europa.  E você está querendo viajar para o Exterior, saiba que nem tudo está perdido. É possível escolher lugares  mais baratos, onde o Real ainda vale mais que a moeda local. Prepare-se para os 5 destinos para fugir da alta do dólar.

Com alta do dólar recomendação é ir para destinos em que o real está valorizado
Foto: Pexels

Buenos Aires é barata e a moeda está desvalorizada em relação ao real

Cotação em 21 de julho de 2020 – R$ 1 = 13,54 pesos argentinos

Buenos Aires é um dos destinos mais procurados para uma primeira viagem internacional, tanto pela proximidade com o Brasil quanto pela facilidade de se virar no “portunhol”; ou ainda pelas ofertas de passagens aéreas baratas que costumam aparecer para lá. A Argentina guarda tantas atrações que há sempre novos e bons motivos para voltar.

Partindo da histórica Plaza de Mayo você conhece a Casa Rosada, o Teatro Colón, a Catedral Metropolitana e o Obelisco. Se quiser, ainda pode conferir a Calle Florida, rua para pedestres que é um dos principais pontos comerciais de Buenos Aires.

Palermo é cheio de áreas verdes e ruas agradáveis, cheias de lojinhas, restaurantes e cafés. Aos domingos, vale conferir a feirinha de artesanato de San Telmo. Artistas se apresentando, artesãos vendendo seus produtos, lojas de antiguidade e muitos barzinhos garantem um dia inteiro de atrações pelo bairro. É lá também que fica o famoso banco com a escultura da Mafalda. Além de tudo isso, Buenos Aires ainda abriga muitos museus, uma gastronomia deliciosa e os tradicionais shows de tango! Vale muito a viagem para este que é um dos 5 destinos para fugir da alta do dólar.

5 destinos para fugir da alta do dólar: Argentina
Foto: Matia Cruz/Pixabay

5 destinos para fugir da alta do dólar? Joanesburgo na África do Sul

Cotação em 21 de julho de 2020 – R$ 1 = 3,12 rands sul-africanos

Em Joanesburgo, a simpatia dos moradores encanta os turistas. As atrações são muitas, incluindo o Museu do Apartheid. Impossível não se emocionar ao ver os vídeos e toda a história contada através de fotos e textos, além de objetos da época. Vale também uma visita ao Lion Park para ver de perto esses incríveis animais. Sua programação de viagem deve incluir também a Casa de Nelson Mandela, o bairro de Sweto, o complexo Montecasino e a Nelson Mandela Square.

E você provavelmente já sabe que a África do Sul tem uma boa reputação por seus vinhos, mas a cena cervejeira também tem ganhado destaque. A South African Breweries, por exemplo, uma das maiores cervejarias do mundo, responsável pela produção da cerveja Miller, tem sua fábrica aberta para visitação, na qual é possível conferir a história da bebida desde sua origem na Mesopotâmia.

Nesta viagem por este que é um dos 5 destinos para fugir da alta do dólar, não deixe de conferir também o pub Beerhouse, que oferece uma ótima seleção de cervejas locais. Perto da capital da África do Sul fica o primeiro hotel 6 estrelas do mundo, o Suncity, em Rustemburgo.

A África do Sul também está na lista dos 5 destinos para fugir da alta do dólar
Foto: Gia Conte-Patel/Pixabay

O México figura na lista dos 5 destinos para fugir da alta do dólar

Cotação em 21 de julho de 2020 – R$ 1 = 4,24 pesos mexicanos

A capital do México é uma das maiores e mais importantes cidades das Américas. Além de ser o principal portão de entrada do país, ela leva o título de uma das mais cosmopolitas do continente. Não exige visto de brasileiros e por isso já é uma ótima pedida.

A Cidade do México é plana e, apesar das distâncias, em alguns casos pode ser percorrida a pé ou metrô. Visite a Basílica de Guadalupe (um dos santuários mais frequentados do mundo) e o Museu Nacional de História. Entre os passeios mais disputados está a visita à casa que pertenceu a Frida Kahlo e agora também é um lindo museu.

Há ainda milhares de outras coisas a serem feitas na cidade, como visitar as Pirâmides do Sol e da Lua, o Palácio de Belas Artes, o Museu Soumaya e Praça das Três Culturas. A gastronomia vai muito além da dobradinha “taco e guacamole”, tudo sempre acompanhando de muita pimenta. Você ainda pode desembarcar na Cidade do México e explorar a parte histórica do país ou seguir viagem para as praias, como Cancún, Riviera Nayarit, Puerto Vallarta ou Playa del Carmen, por exemplo.

Com o dólar subindo, vale ir conhecer o México
Foto: studiokca0/Pixabay

Ar europeu com custos lá embaixo: viaje ao Uruguai

Cotação em 21 de julho de 2020 – R$ 1 = 8,29 pesos uruguaios

Montevidéu possui ares europeus, com um clima tranquilo de interior raro em outras grandes cidades da América do Sul; além de um Centro Histórico com casarões coloniais, praças e parques. É na região central da Ciudad Vieja que você encontra algumas das principais paradas turísticas, como a Praça da Independência, a Porta da Cidadela e o Teatro Solís.

Não deixe ainda de caminhar pelas Ramblas enquanto observa o Rio da Prata, visitar o grande parque Rodó e explorar a gastronomia local no Mercado do Porto. Para curtir a noite, uma boa pedida é conferir as apresentações de Tango e Candombe, a salsa uruguaia.

Montevidéu pode ser visitada durante um feriadão, por exemplo. Em 3 dias você consegue conhecer os atrativos mais importantes, embora seja uma cidade que o convide a passar mais tempo para explorar atrações menos turísticas ou mesmo esticar o passeio para outros destinos próximos, como Punta del Este e Colônia de Sacramento. Ou ainda percorrer algumas vinícolas.

O Uruguai está entre os países que integram a lista dos 5 destinos para fugir da alta do dólar
Foto: Hernan Suarez/Pixabay

Também entre os 5 destinos para fugir da alta do dólar, Chile é outro destaque da América do Sul

Cotação em 21 de julho de 2020 – R$ 1 = 148 pesos chilenos

Como toda metrópole, Santiago é moderna, charmosa e oferece várias opções de lazer para viajante nenhum colocar defeito: desde praças e parques, passando por vários museus (as três casas de Pablo Neruda são boas pedidas), bairros boêmios, vinícolas e estações de esqui bem próximas.

A Plaza de Armas, no coração da capital, é parada obrigatória e uma das principais praças da cidade. Em suas redondezas estão a Catedral Metropolitana (lindíssima), o Museu Histórico Nacional e a Sede dos Correios.

Os bairros Bellavista e Lastarria são alguns dos mais badalados, abarrotados de restaurantes, pubs, teatros, cafés, hotéis e lugares ideais para fazer compras ou provar o tradicional pisco. O Cerro Santa Lucia, no bairro Lastarria, e o Cerro San Cristóbal, um dos pontos mais altos da cidade, são as melhores opções para uma visão panorâmica de Santiago do Chile. É onde vale parar para apreciar um belo pôr do sol e, claro, para tirar incríveis fotos!

Outra visita obrigatória é o Mercado Central. Um lugar fantástico e que cai bem em qualquer época do ano. É lá que estão algumas das melhores centollas (caranguejo gigante) do Chile. E a iguaria combina com vinhos. E claro, nesse quesito Santiago leva a medalha de ouro. Se tiver tempo não deixe de visitar as vinícolas, algumas contam com guias em português.

O Chile também vale conhecer com o dólare subindo
Foto: Javier Alamo/Pixabay

E aí, o que achou destes 5 destinos para fugir da alta do dólar? Se planejar direito, você conseguirá aproveitar uma viagem barata, gostosa e muito animada. Fique atento às dicas e de olho na abertura consciente dos países. E conte sua experiência aqui no Viajar é Vida.


Conteúdos Relacionados


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*