O que fazer em Buenos Aires

Buenos Aires é a capital e a maior cidade da Argentina, além de ser a segunda maior área metropolitana da América do Sul, ficando atrás apenas da Grande São Paulo, no Brasil. Só por isso, você já deve imaginar que há muito o que fazer em Buenos Aires. Então, some outras características como a arquitetura, que retrata a forte colonização europeia; a gastronomia, com o tradicional churrasco argentino; e a extensa e rica vida cultural, tendo a maior concentração de teatros do mundo.

            Com a moeda local (Peso Argentino) desvalorizada frente ao Real, Buenos Aires está entre uma das melhores e mais baratas opções de viagens aos brasileiros em 2020.Outro ponto a favor é a dispensa do visto para ingressar na Argentina, sendo necessário apenas RG atualizado. Além disso, muitos aeroportos do Brasil possuem voos diretos e, mesmo que você precise partir de São Paulo, são aproximadamente três horas de viagem.

Tudo isso colabora para que você possa aproveitar Buenos Aires até em um feriado. Claro que, quanto mais tempo na cidade, mais você consegue conhecer. Mas com um roteiro bem programado, você pode curtir a maioria das atrações turísticas em três ou quatro dias. Quer saber como é possível? Anote essas dicas do que fazer em Buenos Aires e divirta-se!

Foto: álbum de viagem

Na Praça de Maio você conhece boa parte das construções históricas

A Praça de Maio, onde fica a Casa Rosada, uma homenagem à Revolução de Maio de 1810, que originou o processo de independência das colônias da América do Sul. Além da sede do Poder Executivo, em que você pode ver de perto a famosa varanda onde Eva Perón, a idolatrada Evita, dirigia-se emotivamente ao povo argentino, o local conta com outras construções importantes, como o Cabildo, a casa central do Banco Nación e a Catedral Metropolitana de Buenos Aires. Para incrementar sua ida à Praça de Maio e sua lista do que fazer em Buenos Aires, há ainda a Pirâmide de Maio, erguida para comemorar o primeiro aniversário da Revolução de Maio; a estátua equestre de Manuel Belgrano, autor da bandeira argentina; e os símbolos das Madres de Maio, já que desde a década de 1970 as mães argentinas se reúnem em busca de respostas para o desaparecimento de seus filhos na ditadura militar pela qual o país passou no período de 1976 a 1983.

Outras construções importantes para quem curte arquitetura e história em Buenos Aires

Se você é daqueles que curte arquitetura e história, há outras opções de construções na lista do que fazer em Buenos Aires. O mais imponente é o Teatro Colón, que tem 111 anos de história e é a mais importante casa de ópera da cidade e considerada uma das cinco melhores acústicas do mundo. Depois, tem o Obelisco de Buenos Aires, erguido em comemoração ao quarto centenário da fundação da cidade e que impressiona com 67 metros no cruzamento das Avenidas Corrientes e 9 de Julho, na Praça da República. Para fechar, a moderna e atual Floralis Generica, uma escultura de flor metálica cujas pétalas abrem e fecham automaticamente em certas horas do dia, projetada pelo arquiteto argentino Eduardo Catalano como um presente à cidade em 2002. Você pode otimizar seu tempo visitando todas estas atrações a bordo de um city tour, há inclusive aquelas opções que permitem parada para fazer fotos e ingresso na próxima condução.

Foto: álbum de viagem

Um passeio nada sombrio pelo Cemitério da Recoleta

Se você está pensando que é loucura fazer turismo em um cemitério, fique tranquilo. O Cemitério da Recoleta é um dos principais pontos na lista do que fazer em Buenos em Aires, principalmente por ser onde foram sepultados o casal Juan Domingo e Eva Perón. Localizado no Bairro da Recoleta, um dos mais nobres da capital argentina e com áreas de lazer muito populares, ficou famoso pelo luxo dos túmulos que ostentam o momento econômico que o país vivia no início do século 19. Atualmente já não acontecem muitos enterros no local devido o preço dos terrenos. Está entre um dos cemitérios mais visitados do mundo, juntamente ao Pere-Lachaise, em Paris. Aliás, a Recoleta possui muitos edifícios e mansões construídos em estilo francês, o que deu a Buenos Aires o título de Paris da América e só por isso já vale o passeio.

Foto: álbum de viagem

La Boca colore a história de Buenos Aires

Saindo da área nobre de Buenos Aires vamos para La Boca, considerada uma região mais simples, já que foi habitada por estrangeiros, principalmente italianos, que chegavam para trabalhar pelo porto. Aliás, foi por este motivo que o bairro ganhou o nome de La Boca, uma inspiração a região de Boccadasse, em Gênova, de onde vieram boa parte destes imigrantes.

O local entra na lista do que fazer em Buenos Aires pelas atividades que recontam muito da cultura do povo argentino. Por exemplo, foi ali que nasceram os dois maiores times do país, o Boca Juniors e o River Plate, e é por isso que ali encontra-se um dos estádios mais emblemáticos do mundo do futebol, La Bombonera. A visita ao estádio mais museu custa aproximadamente R$ 50 e é indispensável na lista do que fazer em Buenos Aires para os brasileiros que também amam este esporte e podem ver times brasileiros fazendo parte da história através de lembranças da Taça Libertadores da América.

Também é em La Boca que conhecemos as famosas casas coloridas, no Caminito, que tem essa característica porque os estrangeiros construíam suas casas com  tábuas de madeira, placas e telhas de metal pintadas com os restos de tintas que haviam nos navios. O local é aberto para visitação, só fique atento porque há pelas ruas pessoas vestidas como dançarinos de tango, tirando você para dançar e fazer fotos, mas tudo isso tem um preço.

Foto: álbum de viagem

Não deixe de apreciar um show de tango

Uma noite regada a tango precisa estar no seu roteiro do que fazer em Buenos Aires. Em cada esquina da cidade há uma casa de show, das apresentações mais tradicionais às mais teatrais. A dica do Viajar é Vida é o badalado Señor Tango. Muitas pessoas aconselham outros locais pela técnica da dança e pelo repertório, mas se é a sua primeira vez em Buenos Aires, escolha a apresentação hollywoodiana do Señor Tango.

O show mostra mais do que a precisão dos passos que tornam o estilo um dos mais difíceis e sensuais do mundo da dança, ele apresenta a história da Argentina, da cidade e de como a cultura é algo apreciada e levada a sério pela população. Não é um passeio barato, mas visto a economia das outras atrações, vale o investimento. Você pode comprar tudo pelo site, com preços a partir de R$ 550. Se quiser utilizar o transfer oferecido por eles, prepare-se para desembolsar mais R$ 30.

Foto: álbum de viagem

Em Puerto Madero aprecie o tradicional churrasco argentino

Puerto Madeiro era uma área portuária que começou a ser revitalizada no início da década de 1990. É hoje um dos bairros mais exclusivos e procurados da América Latina, com o valor do metro quadrado mais caro. A maior parte do bairro fica em uma ilhada interligada ao continente através de seis pontes, sendo a Puente de La Mujer uma das atrações mais fotografas por quem vai a Buenos Aires.

A região de Puerto Madero também é um importante polo gastronômico e por isso figura na lista do que fazer em Buenos Aires. São diversos restaurantes tradicionais que servem pratos como o Bife de Chorizo e a Parrillada, além das lojas da Freddo, famosa marca de sorvetes argentina inspirada nos gelatos italianos. Delicie-se com o de doce de leite.

Foto: álbum de viagem

Fechar a noite em um cassino é mais da lista sobre o que fazer em Buenos Aires

Depois de um jantar em Puerto Madero, você pode ir caminhando até o Cassino. Ele é flutuante, composto pelos barcos Estrella de la Fortuna e Buque Princess. Dizem que foi a opção encontrada para instalar jogos de azar na cidade, que proíbe a atividade em terra. Além de 120 mesas de jogos e mais de mil máquinas de caça-níqueis, que você pode circular e conhecer gratuitamente, há ainda restaurantes e shows de música e dança. Para quem está de carro, o estacionamento é gratuito e também há opção de utilizar o transfer que sai do entroncamento da Avenida Córdoba com a Leandro Alem em determinados horários da noite.

Foto: álbum de viagem

Se tem tempo extra, conheça o Rosedal e o Jardim Japonês

Buenos Aires é muito arborizada e os argentinos aproveitam muito os parques abertos para fazer atividades e passear com cães. Entre esses espaços, há dois com uma beleza singular e que devem figurar na lista do que fazer em Buenos Aires. O Rosedal fica em Palermo, outro bairro da região nobre da cidade, e concentra a maior coleção de rosas do país, um passeio clássico, tranquilo e voltado para quem gosta de estar em meio às belezas da natureza.

Durante o passeio, você passa pela Ponte dos Amantes, construída em estilo grego e que permite o cruzamento do lago que circunda o parque; por uma trilha com bustos de famosos poetas argentinos e estrangeiros; e pelo Pátio Andaluz, com fonte e bancos para descansar. E sabe o que é melhor? Tudo de graça.

Foto: álbum de viagem

Menos de um quilômetro do Rosedal está o Jardim Japonês, construído no fim da década de 1960 em homenagem a visita do então príncipe-herdeiro do Japão, o ex-imperador Akihito. A entrada do local custa cerca de R$ 16 e é voltada para a manutenção do Complexo Cultural e Ambiental Jardim Japonês. Todos os elementos buscam harmonia e equilíbrio, algo muito forte na cultura oriental. Além de árvores nativas da Argentina, encontra-se uma variada espécie de plantas japonesas e no lago há uma vasta quantidade de carpas de diferentes cores. Ainda é possível adquirir bonsais no local e, para quem curte, há restaurante que serve comida japonesa.

E aí, já conhece a capital argentina? O que mais você incluiria na lista do que fazer em Buenos Aires? Conte pro Viajar é Vida nos comentários e vamos juntos construir um roteiro ainda mais incrível.


Conteúdos Relacionados


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*