7 curiosidades sobre o Polo Norte

Um lugar inédito, com paisagens incríveis, um fuso-horário completamente diferente, e que, por isso, levanta muitas dúvidas aos viajantes. Após conhecer as 7 curiosidades sobre o Polo Norte, você não pensará duas vezes antes de carimbar seu passaporte para esse lugar tão incrível. Acredite, chegar lá e se adaptar é mais fácil do que parece. Fora dos roteiros mais tradicionais de viagens, para nós, brasileiros, há diversas formas de chegar no Polo Norte, com trajetos que levam pouco mais de um dia e meio. O frio da região realmente é intenso, atingindo no máximo 10ºC nos dias mais quentes do ano. Se você já ouviu que o sol não aparece por lá durante seis meses, é verdade. Mas, tudo isso é facilmente encarado quando se vê os ursos polares ou o fenômeno da aurora boreal.

As dúvidas são muitas. Em que País está o Polo Norte? Preciso de visto? Quais são os principais pontos turísticos? Tudo isso, e muito mais, você vê nas 7 curiosidades do Polo Norte. Temos certeza que após terminar esse texto do Viajar é Vida, você já estará com as malas prontas para encarar uma das regiões mais frias do mundo.

Foto: Pixabay

O sol não aparece por seis meses no Polo Norte

Antes de decidir o roteiro para o Polo Norte é muito importante entender o sol da meia noite e a noite polar. Provavelmente você já ouviu sobre esses dois fenômenos, mas sabe o que eles significam? O sol da meia noite acontece no Hemisfério Norte durante o Verão, de abril a setembro, e é caracterizado pela presença visível do sol durante 24 horas. Isso mesmo, nesse período o sol nunca se põe, o mais baixo que ele alcança é próximo à linha do horizonte.

Oposto a isso, no Inverno, de outubro a maio, acontece a noite polar, quando o sol se põe e não volta mais no próximo meio ano. São seis meses sem a presença da estrela brilhante. Se você escolher a ida ao destino no Inverno, prepare bem a vitamina D.

Foto: Pixabay

De que país é o Polo Norte?

Uma das 7 curiosidades sobre o Polo Norte mais legais é que a região, também conhecida como ártico, não faz parte de um país especifico, está localizada em vários, e nenhum deles é seu “dono oficial”. Dividida entre os Estados Unidos (Alasca), Canadá, Rússia, Dinamarca (Groelândia), Noruega, Suécia e Finlândia, não pense que lá é uma terra sem leis, não é porque o Polo Norte não pertence a nenhum país que não há regras.

A região é regida por leis internacionais que se aplicam a todos os oceanos, isso significa que as mesmas regras se aplicam em relação a pesca e a conservação de animais nativos. Inclusive, para turistar na região é preciso sim ter o visto. Há diversas maneiras de chegar na região mais ao norte do mundo, em localidades vizinhas, como Alasca, Noruega e Groenlândia, e também em formas de cruzeiros, onde você pode passar dias navegando pelo Mar Ártico. Neste caso, a regra seguida deve ser a do País na qual você irá passar pela imigração.

Foto: Pxhere

7 curiosidades sobre o Polo Norte: você não precisará dormir em um iglu

A imagem do esquimó pescando em meio a montanhas de gelo e dormindo em um iglu pode ficar só no desenho animado. Se está preparando seu roteiro de viagem para o Polo Norte, há duas opções mais tradicionais de turismo: navegar em um cruzeiro pelo Mar Ártico, ou se hospedar nas proximidades, como, por exemplo, na Cidade de Longyearbyen, na Noruega, Europa, ou em todo o Alasca, nos Estados Unidos. Longyearbyen é considerada uma das cidades mais ao Norte do planeta, lá você verá de perto as montanhas geladas, o sol da noite e a noite polar, além de presenciar um lugar onde a população de ursos polares ultrapassam as pessoas, que são aproximadamente 2.150 habitantes. Mas, fora isso, há uma cidade normal, com casas, hotéis, academia, mercado, banco, e até uma balada. Não se preocupe, uma cama quentinha e confortável te espera no Polo Norte!

Foto: Flickr/Christopher Michel

Os ursos polares dominam a região

A população que vive nas cidades mais ao extremo do Norte não é muito grande, a média é dois mil habitantes em cada uma delas. Em compensação, a população de ursos polares domina, chegando a ter até mil a mais em comparação aos humanos. Além deles, é comum encontrar na região polar do ártico animais como a raposa-do-ártico, lebre-ártica, a coruja-das-neves, rena, foca, o lobo-do-ártico, entre vários outros.

A diversidade não é tão grande como em outros biomas terrestres, visto que os animais precisam de uma resistência para a adaptação no rigoroso clima. Ao contrário do que se imagina, no Polo Norte não há pinguins, esses habitam apenas o Hemisfério Sul do planeta.

Foto: Pixabay

É muito frio, mas não é o lugar mais frio do mundo

Apesar das temperaturas congelantes, que no Verão chegam a zero grau e no Inverno atingem -35ºC, o Polo Norte não é o lugar mais frio do mundo. Esse posto fica para o Polo Sul, onde a temperatura pode chegar a -60ºC. Isso acontece porque como o gelo do Polo Norte está apoiado diretamente na água do mar, consegue absorver parte do calor gerado pelo oceano. No Polo Sul, há uma camada de terra entre o mar e o gelo, que impede essa troca de calores. Mesmo assim, quando for preparar sua bagagem para viajar ao Polo Norte, é fundamental acrescentar muitos casacos quentinhos, roupas térmicas e sapatos adequados para neve e frio. É ou não é uma importante dica nesta lista das 7 curiosidades sobre o Polo Norte?

Foto: Pixabay

A aurora boreal é um dos fenômenos naturais mais lindos do mundo

Entre as 7 curiosidades sobre o Polo Norte, a aurora boreal também poderia estar entre as 7 maravilhas do mundo. Esse fenômeno da natureza acontece no Polo Norte e é resultado do impacto dos ventos solares com o campo magnético do planeta, formando belíssimas luzes brilhantes em todo o céu.

A aurora boreal é facilmente vista a olho nu e normalmente acontece nos finais da tarde e durante as noites dos primeiros meses do ano, particularmente em janeiro, fevereiro e março, quando a neve já caiu e o céu está limpo no hemisfério norte. O fenômeno é visível na Noruega, Suécia, Dinamarca, Alasca, Finlândia, Escócia, Rússia, Islândia, Groenlândia e Canadá.

Foto: Pixabay

As geleiras precisam de ajuda

Como você viu, o Polo Norte é cheio de surpresas naturais, viajar para a região significa voltar com um leque de novas experiências e culturas. Acontece que a região precisa de ajuda, o ártico, onde se encontra o Polo Norte, possuí um ciclo de derretimento, em que cerca de metade do gelo derrete no Verão, voltando no Inverno. O problema é que estudos indicam que metade desse gelo pode desaparecer até o fim do século, por volta de 2.105, logo, a região enfrentará Verões sem gelo algum. Mesmo que em pequena porcentagem, o descongelamento das geleiras já causa o risco de extinção de várias espécies. Para evitar esse desastre, é preciso cuidar com o aquecimento global. Reduza o consumo de descartáveis, evite o desperdício, priorize fontes de energia limpas e renováveis, entre outras ações. Juntos, podemos salvar as geleiras, os animais nativos, e preservar um lugar tão lindo para roteiros de viagens.

Foto: Pixabay

O que te impressionou mais entre as 7 curiosidades sobre o Polo Norte? Já deu vontade de montar um roteiro para o ártico? Conta pra galera do Viajar é Vida!  Se tiver mais alguma dica, deixe nos comentários também.


Conteúdos Relacionados


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*