Quais os melhores museus da Cidade do México

Entre as maiores metrópoles do mundo, claro que a Cidade do México também é uma com diferentes programas para o viajante. O Viajar é Vida esteve por lá e mostra agora quais os melhores museus da Cidade do México, com as informações mais adequadas para o seu passeio.

Antes, vale dizer que a capital do México tem 170 museus no total, graças a sua história e preocupação em manter vivo o passado. E a cidade em si, é bastante segura, principalmente nos locais mais turísticos. Segundo os números de ocorrências policiais, a Cidade do México é muito mais segura do que vários outros destinos turísticos reconhecidos mundialmente. Então, se tiver a oportunidade, se jogue para esta capital que fica a 2.200 metros acima do nível do mar e é cercada por montanhas e vulcões que atingem altitudes de mais de 5.000 metros.

Tem 8 milhões e 800 mil habitantes e é a cidade mais populosa do México e da América do Norte. Se somar a região metropolitana com quase outros 40 povoados e cidades, chega-se à incrível marca de 20 milhões de habitantes. Uma gente acolhedora, que bem recebe os visitantes e faz questão de ser simpático com o povo estrangeiro.

Quais os melhores museus da Cidade do México
Foto: Julieta Sanchez/Pixabay

Quais os melhores museus da Cidade do México? A lista abre com o Museu Nacional de Antropologia

O Museu Nacional de Antropologia é um dos mais importantes de todo o país. Aqui fica um importante acervo arqueológico e antropológico das culturas pré-colombianas do México, como a Pedra do Sol e a estátua asteca de Xochipilli do século 16. O prédio foi desenhado em 1963 por Pedro Ramírez Vázquez, Jorge Campuzano e Rafael Mijares e construído em apenas 19 meses.  A arquitetura impressiona: são átrios de exposição em redor de um pátio com um grande lago e uma grande estrutura em forma de guarda-chuva da qual cai uma cascata artificial, suportada por um só pilar. O museu tem 23 salas de exposição e cobre uma área de 79 mil metros quadrados que é quase 8 hectares.

Este museu fica localizado na região central, no Paseo de la Reforma. O foco é preservar o legado indígena do México, com destaque para as culturas astecas, maias e as civilizações pré-hispânicas. Neste período de pandemia o Museu Nacional de Antropologia abre de terça a sábado, das 10h às 17h. Os ingressos custam 80 pesos mexicanos, cerca de R$ 20. Idosos e abaixo de 13 anos entram de graça.

Quais os melhores museus da Cidade do México? A lista abre com o Museu Nacional de Antropologia
Foto: Wikipedia

Sem dúvidas o Palácio de Bellas Artes faz parte do imaginário de quem viaja à Cidade do México

O Palácio de Bellas Artes é um prédio icônico na cidade. É também o principal teatro de ópera da Cidade do México. O edifício é famoso pela sua arquitetura externa, em estilo Beaux Arts utilizando mármore carrara, e pelos seus murais interiores por Diego Rivera, Rufino Tamayo, David Alfaro Siqueiros e José Clemente Orozco, renomados artistas mexicanos. O Pallácio abriga o Museo del Palacio de Bellas Artes e o Museo de la Arquitectura. A obra deste majestoso prédio começou em 1904 e a conclusão foi apenas em 1934, depois de um período árduo com complicações na obra, depois pela Revolução Mexicana. Além dos 2 museus, o teatro é utilizado para espetáculos de música clássica, ópera e dança, em especial o “Baile Folklórico”. Aqui estão sediadas a Orquestra Sinfónica Nacional, a Orquestra das Bellas Artes, a Orquestra de Câmara das Bellas Artes, a Companhia Nacional de Dança e a Companhia de Ópera das Bellas Artes.

Sem dúvidas o Palácio de Bellas Artes faz parte do imaginário de quem viaja à Cidade do México
Foto: Wikipedia

Leia também

Frida Kahlo na lista de quais os melhores museus da Cidade do México

Todo mundo que se encanta com a cultura do México tem um desejo de conhecer de perto a história de Frida Kahlo no Museu Frida Kahlo. E aqui na Cidade do México fica o museu em sua homenagem, também chamado de Casa Azul graças às paredes de azul forte. O lugar é onde viveu a artista, no Bairro Colonia del Carmen de Coyoacán. O edifício marca o local de nascimento de Kahlo e é também a casa onde ela cresceu, viveu com seu marido Diego Rivera por vários anos e faleceu. Em 1958, a casa foi doada a fim de transformá-la em um museu em homenagem a ela.

Obviamente que o espaço também reflete um pouco da vida e obra de seu marido Diego Rivera e outros artistas, além de objetos de arte popular mexicana, artefatos pré-hispânicos, fotografias, objetos e itens pessoais. A coleção é exposta em todos os cômodos da casa, que permanece muito como era na década de 1950.

O funcionamento é o seguinte: segundas-feiras, das 10h às 18h. Terças, de 11h às 18h. De quarta a domingo, de 10h às 18h. Os ingressos se esgotam muito rapidamente e é importante fazer a compra on-line. Para estrangeiros custam 270 pesos, cerca de R$ 70.

Frida Kahlo na lista de quais os melhores museus da Cidade do México
Foto: Wikipedia

Tem história e política no Museu Histórico do Palácio Nacional

O Museu Histórico do Palácio Nacional é a sede do Poder Executivo federal do México e a residência oficial dos presidentes mexicanos. Fica na Praça da Constituição (o Zócalo), num terreno com 40 mil metros quadrados no centro histórico da Cidade do México. O local onde está este edifício atualmente tem sido ocupado por palácios da classe governante no México desde o Império Asteca e grande parte dos materiais de construção do atual palácio pertenceram ao origin al pertencente a Montezuma II.

Oferece uma viagem de 5 séculos pelos grandes acontecimentos da história do país. São 80% das peças originais e o restante são propostas digitais, hologramas e vídeos. Tem um grande atrativo representado pela realidade aumentada, como é o caso da apresentação dos murais de Diego Rivera. Entre os objetos, destaca-se a cadeira em que Pancho Villa se sentou ao entrar no Palácio Nacional com Emiliano Zapata e seus anfitriões. Está aberto ao público de quarta a domingo, das 10h às 17h. A entrada é gratuita.

Tem história e política no Museu Histórico do Palácio Nacional
Foto: Wikipedia

Quais os melhores museus da Cidade do México: conheça o Soumaya

O Museu Soumaya é uma instituição cultural privada, sem fins lucrativos, fundada em 1994 e vinculada à Fundação Carlos Slim. Atualmente ocupa dois espaços: um histórico, na Plaza Loreto, na região sul da cidade, e a nova sede, projetada por Fernando Romero e inaugurada em 2011, na Plaza Carso, região norte. O nome do museu é uma homenagem a Soumaya Domit, esposa do fundador, Carlos Slim, falecida em 1999.

Aqui estão mais de 60 mil peças de coleções de artes plásticas, artes decorativas, documentos históricos, relíquias religiosas e numismática. Artigos que vão do século 15 aos dias de hoje e dão uma boa panorâmica sobre a produção artístico-cultural do México, da América Latina e da Europa. Importante destacar a coleção de 380 esculturas de Auguste Rodin, a segunda maior do mundo. A visitação é gratuita. Tanto no prédio moderno quanto no histórico, o atendimento é diário, das 10h30min às 18h30min.

Quais os melhores museus da Cidade do México: conheça o Soumaya
Foto: Wikipedia

Criançada vai amar o Papalote Museo del Niño

Para quem viaja com criança, o Papalote Museo del Niño é uma ótima pedida na Cidade do México. O museu está focado na aprendizagem, comunicação e trabalho conjunto por meio de exposições interativas de ciência, tecnologia e arte para a garotada. Este museu foi criado em 1993 pelo arquiteto Ricardo Legorreta. Ele projetou o edifício com figuras geométricas e azulejos tradicionais mexicanos para que as crianças pudessem interagir, experimentar e tocar. O teto e as paredes foram feitos por crianças. A reabertura neste período pandêmico será no dia 11 de setembro.

Criançada vai amar o Papalote Museo del Niño
Foto: Wikipedia

A contemporaneidade do Museu Jumex na lista de quais os melhores museus da Cidade do México

Outro grande atrativo do gênero na Cidade do México é o Museu Jumex, um espaço para a arte contemporânea. Eugenio López Alonso comprou sua primeira obra de arte mexicana em 1994 e foi aqui que ele deu início simbólico à Fundación Jumex Arte Contemporáneo. Ao longo dos anos 1990, ele passou seu tempo estudando arte contemporânea, ao mesmo tempo em que viajava e pesquisava como montar uma coleção que incentivasse o desenvolvimento da obra de artistas de sua geração no México.

Ao ir comprando a arte local e criando sua coleção, acabou idealizou a Fundación Jumex com uma equipe de profissionais da arte para promover a arte contemporânea por meio de programas que envolviam coleta, educação, pesquisa e financiamento de artistas e museus. Desde 2013 ele mantém esta incrível estrutura moderna e artística que bem reforça a inovação da arte moderna do México. A abertura é de terça a domingo, das 10h às 17h. Às segundas ele está fechado.

A contemporaneidade do Museu Jumex na lista de quais os melhores museus da Cidade do México
Foto: divulgação

Você também é daqueles que adora museus? Quais os que você já foi e mais sente saudades ou recomenda? Deixe suas dicas nos comentários do Viajar é Vida.  


Conteúdos Relacionados


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*