6 museus que fazem viagem cultural pelos idiomas

6 museus que fazem viagem cultural pelos idiomas

Esta é uma viagem cultural: o Museu da Língua Portuguesa será reaberto em São Paulo. Ele está em reconstrução após quatro anos fechado para reformas depois de um incêndio que chocou o país. A previsão de reabertura seria para junho, mas a situação da pandemia fez com que os planos fossem adiados. Ele é um dos 6 museus que fazem viagem cultural pelos idiomas que o Viajar é Vida destaca neste post.

Esta viagem cultural será possível graças a recursos na casa de R$ 81 milhões, vindos do Governo Federal, de grupos como Globo e Itaú, da EDP, da Sabesp, da Fundação Calouste Gulbenkian, além do valor do seguro do museu. As obras começaram pela fachada do prédio e esquadrias, reconstrução da cobertura e finalização da área interna. Foram incluídos no projeto um mirante, com vista para o Parque Jardim da Luz, e um café.

6 museus que fazem viagem cultural pelos idiomas

Em São Paulo, o Museu da Língua Portuguesa deve ser reaberto em breve
Foto: divulgação

Viagem cultural ao Museu da Língua Portuguesa em São Paulo terá ainda mais interação

Atualmente o Museu da Língua Portuguesa se empenha em montar seu acervo, que não foi perdido no incêndio, já que ele era todo virtual. Em nota oficial, o Museu da Língua Portuguesa se manifestou dizendo que agora reconstruído, retoma sua vocação de espaço de educação por excelência, em que patrimônio histórico, experiências museológicas e ações educativas se complementam e se comunicam para celebrar nosso maior patrimônio imaterial, o nosso idioma. Tão nosso que merece estar na lista sobre os 6 museus que fazem viagem cultural pelos idiomas.

O Museu da Língua Portuguesa ficou 4 anos fechado e, desde sua inauguração em 2006 até o incêndio, cerca de 4 milhões de pessoas já tinham visitado o local, tornando-o em um dos mais visitados da América do Sul. A previsão é que o Museu da Língua Portuguesa seja ainda mais interativo do que já foi. Isso cativa as pessoas, sejam elas crianças, jovens e adultos, inclusive as pessoas com deficiência.

No dia 21 de dezembro de 2015 o Museu da Língua Portuguesa, que fica ao lado da Estação da Luz, cartão postal da cidade de São Paulo, foi atingido por um incêndio. Após investigações, que duraram cerca de três anos e meio, foi apurado que o fogo começou por um defeito em um holofote e em seguida se alastrou pelo prédio, consumindo parte da estrutura e do telhado.

Foto: divulgação

6 museus que fazem viagem cultural pelos idiomas

Museu Nacional de Hangeul é uma viagem ao alfabeto

O Museu Nacional de Hangeul, em Seul, na Coreia do Sul, é um dos museus que não pode faltar em um roteiro de viagem para Seul. O museu foi inaugurado no dia 9 de outubro de 2014, em comemoração ao aniversário de criação do alfabeto. O alfabeto do Hangeul foi desenvolvido pelo Rei Sejong, que governou entre 1418 e 1450, para que a população tivesse mais acesso à comunicação escrita e pudesse manter registros de suas atividades. Antes do Hangeul a língua utilizada era o “Hanja”. O Hanja utilizava caracteres chineses, muito mais complexos, e era dominado apenas pelos nobres. 

O Alfabeto Hangeul possui 24 caracteres, com 14 consoantes e 10 vogais. As três principais vogais, que dão origem às demais, representam o céu, a terra e a humanidade. A arquitetura moderna do prédio que sedia o museu foi projetada de forma a exprimir a ideia de um lugar onde o céu, a terra e pessoas se encontram para valorizar a língua e a cultura coreana.

A exposição “Heróis de Hangeul”, que fica disponível para visitação até agosto de 2020, é apresentada em comemoração ao quinto aniversário do museu e ao Dia de Hangeul. A exposição foi montada a partir de uma pesquisa feita com os visitantes para ajudar a selecionar as personagens que promoveram o Hangeul na luta contra os preconceitos sociais, em momentos de crise nacional, tentando proteger o país, e na criação de novos tipos de comunicação com o Hangeul.

Seul também tem seu representante na lista dos 6 museus que fazem viagem cultural pelos idiomas

6 museus que fazem viagem cultural pelos idiomas: hieróglifos no Museu de Israel

No Museu de Israel, em Jerusalém, a linguagem egípcia antiga ganhou uma interpretação inovadora com a exposição “Emoglifos: a escritura ideográfica, dos hieróglifos até os emojis”, onde a escrita antiga é compreendidos a partir dos super atuais símbolos usados na internet. A exposição fica disponível ao público até outubro de 2020 e não pode ser excluído da lista de exposições mais interessantes para se conhecer em uma viagem para Israel.

Desde os tempos antigos a comunicação visual, a partir de imagens e desenhos, está presente nas sociedades, sejam nas paredes de uma caverna, no papiro ou na tela de um celular. Pensando nisso, o departamento de arqueologia do Museu de Israel pensou em uma forma inovadora de fazer com que os hieróglifos sejam compreendidos.

De acordo com Bem Dor Evian, egiptóloga e curadora da exposição, muitos hieróglifos e emojis têm “semelhança no desenho e na forma, o que é muito interessante, porque milhares de anos e grandes diferenças culturais separam os dois sistemas”.

A exposição no Museu de Israel traz artefatos antigos, alguns inéditos, com inscrições comparadas aos emojis traduzindo seus significados. A curadora destaca ainda que uma grande diferença entre os emojis e os hieróglifos é que o primeiro pode ser utilizado livremente e o segundo foi considerado por muito tempo algo sagrado, que poderia ser manipulado e combinado apenas por uma elite.

6 museus que fazem viagem cultural pelos idiomas: Museu de Israel
Foto: Pixabay

O Museu Canadense da Língua é um dos 6 museus que fazem viagem cultural pelos idiomas

O Museu da Língua Canadense, criado em 2011, tem como objetivo principal destacar a importância de todas as línguas faladas no Canadá. O museu não possui exposições fixas, apenas exposições itinerantes e digitais, disponíveis para todos no site do Museu Canadense da Língua. As exposições que o museu promove são ligadas bilinguismo, multilinguismo e risco, preservação e revitalização de idiomas.

O Canadá é um dos maiores países do mundo, e assim como seu tamanho, a quantidade de línguas faladas também é grande. De uma ponta a outra do país são falados muitos idiomas, entre eles os oficiais, inglês e francês, os dialetos, línguas indígenas e outras que vieram recentemente com os imigrantes. Demonstrando esta realidade o museu montou uma exposição digital chamada “Messages from the Mosaic”, que explora a história e a atualidade linguística do país, além da perda, recuperação e o futuro dos idiomas no Canadá.

Museu da Língua do Canadá traz experimentações e interações
Foto: divulgação

Museu Nacional da Escrita Chinesa retrata as mudanças da língua ao longo do tempo

O Museu Nacional da Escrita Chinesa, que fica em Anyang, na província de Henan, é um ótimo lugar para se visitar em uma viagem à China. O museu possui uma arquitetura impressionante, que mescla a modernidade com elementos dos palácios da dinastia Shang e foi inaugurado em 2009. De acordo com o governo, o museu tem o objetivo de preservar a profunda herança cultural dos caracteres chineses por meio de formas modernas de apresentação, permitindo que as pessoas entendam as enormes mudanças na história chinesa e ajudem a reviver a importância cultural tradicional chinesa.  

O Museu Nacional da Escrita Chinesa é também um importante centro de pesquisa sobre a língua chinesa, por isso integra nossa lista de 6 museus que fazem viagem cultural pelos idiomas. A língua local é uma das mais antigas do mundo e que ainda guarda muitos segredos. O acervo do museu conta com mais de 4.000 peças, entretanto apenas parte delas está em exposição. Entre as salas de exposição é possível perceber a evolução da escrita chinesa ao longo do tempo, desde os artefatos com as inscrições mais antigas já encontradas, até os caracteres mais conhecidos e utilizados hoje.  

Na China o museu da língua chinesa ainda tenta desvendar mistérios do idioma

Com 11 línguas oficiais museu sul-africano homenageia o africâner

O Afrikaanse Taalmuseum fica em Paar, próximo à cidade do Cabo, na África do Sul, e guarda a história da língua africâner, as suas origens, ramificações e expressões. O africâner é uma das 11 línguas oficiais da África do Sul, junto com o inglês e outras línguas nativas e é uma das mais falada no país.

O Afrikaanse Taalmuseum foi criado originalmente para homenagear a sociedade Genootskap van Regte Afrikaners, que tinha o objetivo de tornar o africâner uma língua consolidada, padronizada, além de começar a publicar conteúdos em africâner. O museu fica em uma casa em estilo georgiano, onde um dos líderes do grupo viveu e possui uma exposição multimídia chamada “o africâner: um arco-íris de linguagem”, opção interativa para atrair o público. As atrações são sinalizadas em africâner, inglês e isiXhosa.

6 museus que fazem viagem cultural pelos idiomas:  África do Sul
Foto: Divulgação

6 museus que fazem viagem cultural pelos idiomas. É a sua praia curtir este tipo de museu? Quais destes você já conheceu? Divida com os leitores do Viajar é Vida.


Conteúdos Relacionados


Um comentário

  1. Pingback: Fun Museu abre as portas em Balneário Camboriú Viajar é Vida!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*