O que fazer em Sydney na Austrália

Do outro lado do mundo, onde tudo acontece primeiro (já é ano novo na Austrália, quem nunca ouviu essa frase?), o país é realmente um destaque quando o assunto é viagem. Por isso o Viajar é Vida apresenta uma lista de coisas sobre o que fazer em Sydney na Austrália. Não é a capital, porém é uma das maiores cidades. Sydney tem uma economia de mercado avançada, com pontos fortes em finanças, manufatura, turismo e respeito à diversidade em todos os campos. É tão potente que é considerada o principal centro financeiro da região Ásia-Pacífico.

Característica que veio também dos povos que colonizaram a Austrália. O país já era habitado há milhares de anos pelos indígenas australianos e foi em 1788 que os colonizadores britânicos chegaram. A ascendência inglesa é facilmente perceptível por lá, incluindo no sistema de trânsito em que o motorista fica do lado direito do carro, diferentemente do Brasil.

A área urbana de Sydney está em uma bacia costeira delimitada pelo Oceano Pacífico, pelas Montanhas Azuis, pelo Rio Hawkesbury e Royal National Park. Mas, o que fazer em Sydney na Austrália? O Viajar é Vida conta agora.

Foto: Patty Jansen/Pixabay

O que fazer em Sydney na Austrália: porto de Sydney

O Viajar é Vida fez uma seleção de algo que é muito grande. Os destaques são pelo que conhecemos e adoramos. Iniciamos pelo Sydney Harbour, ou porto de Sydney. O recorte natural já dá o charme necessário à região. São 240 quilômetros de com cerca de 54 quilômetros quadrados de água. Além de regiões urbanas, todo o entorno contempla parques, reservas e jardins que equilibram o porto ambientalmente.

Na região do Parque Nacional do Porto de Sydney é possível caminhar pelas trilhas indo da Sydney Harbour Bridge até Manly e North Head  (caminhada longa tá, de cerca de 8h!). Mas é possível fazer algo mais próximo, como ir de ferry (um dos principais transportes da região) para o Taronga Zoo seguido de uma caminhada de 20 minutos no porto de Bradley’s Head. De lá, você pode continuar até Chowder Bay ou até Balmoral Beach.

Observe a baía e se encante com o deslizar dos barcos, ferries e outras embarcações nas águas. Os ferries boats são barcos públicos administrados pelo governo. Eles contribuem com o sistema de transporte de maneira segura e barata e ao mesmo tempo entram como alternativa para os viajantes conhecer boa parte de Sydney. Nem toda rota leva aos atrativos turísticos. Mas é a forma que o visitante pode ter para conhecer um pouco mais do cotidiano do morador.

Porto de Sydney entre o que fazer em Sydney na Austrália
Foto: Alistair McLellan/Pixabay

Sydney Harbour Bridge é uma das pontes mais famosas do mundo

Fazendo a travessia de dois trechos da cidade, a Sydney Harbour Bridge disputa com a Opera House o título de símbolo da cidade. Na opinião do Viajar é Vida, essa disputa é irrelevante, porque juntas é que as duas obras têm força. Concluída em 1932, a construção da ponte foi um feito econômico e um marco na engenharia mundial. Foram 8 anos de trabalho para ser erguida, o que inclui uma linha ferroviária (outro meio de transporte da cidade).

A Sydney Harbour Bridge pode ser acessada por pedestres e este, claro, é um passeio imperdível para os viajantes. Você pode chegar à passarela pelas escadas da Cumberland Street, The Rocks ou perto da estação Milsons Point, no lado norte. Há um mirante aberto todos os dias, exceto no dia de Natal. É ou não é uma boa opção do que fazer em Sydney na Austrália?

Outro marco da engenharia fica na Austrália: Sydney Harbour Bridge
Foto: Monika Häfliger/Pixabay

Marco da arquitetura mundial, a Sydney Opera House é a verdadeira representação da Austrália

A Sydney Opera House também está localizada no porto de Sydney, na região costeira. É uma das maravilhas do mundo moderno e o projeto é assinado por um dos grandes arquitetos do planeta: o dinamarquês Jorn Utzon. O espaço é uma casa de espetáculos das mais diferentes artes. Tem auditórios para performances de teatro e dança, sala de concerto para quase 2.700 pessoas, espaço para eventos… além do seu inigualável projeto arquitetônico que muito bem representa Sydney mundo afora.

O projeto representa as velas das embarcações que aproveitam do vento que sopra na baía e também as conchas encontradas ao longo da costa. Externamente, com o apoio da tecnologia, as projeções mapeadas fazem do teto da Sydney Opera House uma gigantesca tela que enche os moradores de orgulho e surpreende os viajantes.

Na lista de o que fazer em Sydney na Austrália, a Opera House foi inaugurada pela rainha Elizabeth em 1973, mas Utzon não foi convidado para a cerimônia – nem seu nome foi mencionado durante os discursos, já que a obra teria tido falha no cálculo estrutural e o peso do telhado poderia trazer o prédio abaixo. Uma medida de emergência foi tomada, o serviço encareceu, mas para não perder o ritmo nem virar chacota mundial, foi seguida até sua conclusão. O arquiteto, inclusive, nunca mais voltou para a Austrália e morreu sem ver o famoso edifício que criou.

Grande marco da arquitetura de todos os tempos: Sydney Opera House
Foto: Patty Jansen/Pixabay

The Rocks é um bairro hipster de Sydney

É muito fácil chegar e reconhecer o The Rocks. Do lado do Circular Quay (principal terminal de balsas de Sydney), pode-se caminhar até o local, logo depois do Museu de Arte Moderna e píer de atracação dos transatlânticos. Quem passa pelo The Rocks se apaixona. A região tem vielas e prédios antigos, mas que foram revitalizados para receber cafés, lojinhas, bibliotecas, feiras livres…. Para garantir que vai conhecer e aproveitar praticamente tudo, dispense pelo menos um período. Se curte caminhar, se embrenhar nos locais, conversar com desconhecidos, comer e beber bem, coloque um dia inteiro no seu roteiro de viagem.

A maioria das atividades no The Rocks gira em torno de caminhar, olhar e comer. Simples assim!  Não se esqueça de ver o topo da Argyle Street, onde está o Argyle Cut, um pequeno túnel aberto através de arenito que permite o acesso de The Rocks a Millers Point.

O que fazer em Sydney na Austrália: The Rocks
Foto: Wikipedia

Verão típico australiano? É na Bondi Beach, que integra a lista sobre o que fazer em Sydney na Austrália

Dos programas de televisão para a vida real, a Praia de Bondi fica cerca de 30 minutos de carro do centro de Sydney. Como os meios de transporte são eficientes, linhas de ônibus levam até a praia. O 380 de Circular Quay chegará lá em cerca de 40 minutos ou o trem para Bondi Junction; em seguida, os ônibus 381 ou 382 o deixarão na praia também. O ônibus de Bondi Junction para a praia leva cerca de 15 minutos.

Bondi Beach é o que a gente espera de uma praia australiana: sol, surfe, gente bonita, diversão… A praia faz parte de uma grande baía em forma de lua com parques ao arredor. Por toda a região há uma série de restaurantes, hotéis, lojas e afins. Se quiser fazer algo diferente, caminhe pela trilha costeira de 2 quilômetros entre Bondi e a Praia de Tamarama.

Bondi Beach é uma das mais famosas praias de Sydney
Foto: Flo K/Pixabay

Jardim Botânico real divide a atenção no coração de Sydney Harbour

O lado ambiental de Sydney é muito forte, está no DNA da população. E o Royal Botanic Garden já celebrou seus 200 anos ao lado do porto de Sydney. Distante poucos metros do Opera House, fica ás margens do Farm Cove. Entre os atrativos bem diferentes, está um banco de granito que foi construído em 1811 por presos condenados por ordem do governador que queria presentear sua esposa com um local encantador para sentar. A cadeira está em um ponto que oferece algumas das melhores vistas do Sydney Harbour.

O Royal Botanic Garden tem mais de um milhão de espécimes e há até um pequeno “trem” vermelho de embarque e desembarque para os menos energéticos. O jardim é um santuário longe do barulho da cidade e situado perto do Hyde Park e de alguns dos principais hotéis da cidade. A entrada para o Jardim Botânico Real é gratuita.

Vista do Royal Botanic Garden em Sydney na Austrália
Foto: divulgação

Observatório astronômico teve impacto na ciência astronômica do mundo

Quem olha para o céu vê muito mais do que uma imensidão azul ou preta. No caso do Observatório de Sydney, o mais antigo da Austrália, consegue ver com detalhes o que o firmamento esconde. A história dos vários prédios e da origem do monte onde está instalado está relacionado ao período de 1788 a 1803, período em que foi construído um forte na Observatory Hill com a intenção de proteger a enseada de Sydney do ataque dos franceses.

O primeiro astrônomo do governo, William Scott, foi nomeado em 1856 e o ​​Observatório de Sydney propriamente dito foi construído na colina e concluído em 1958, a partir de um projeto do arquiteto colonial Alexander Dawson.

É um edifício de arenito no estilo italiano, com duas cúpulas telescópicas e uma torre de quatro andares com uma “bola do tempo”. Uma cúpula abrigava o telescópio equatorial. Historicamente, o papel mais importante do observatório, no começo, era sinalizar o horário para a cidade e o porto. Isso era feito todos os dias às 13h, quando uma “bola de ponto” no topo da torre caía para sinalizar a hora correta.

Embora depois disso o papel do observatório ganhasse mais força! Algumas das primeiras fotografias astronômicas do céu do Sul foram tiradas no observatório e o observatório foi fundamental para ajudar na compilação do primeiro atlas de céu do mundo, o catálogo astrográfico. Este trabalho foi realizado no observatório de 1899 a 1971 e acabou preenchendo 53 volumes.

O que fazer em Sydney na Austrália, visitar o Observatório
Foto: divulgação

A Austrália é destino certo para quem ama viajar. O país que também possui extensão continental tem muito a ser visto, muito a ser visitado. Na região de Sydney, banhada pelo Oceano Pacífico, tem isso o que o Viajar é Vida apontou e muito mais. Se curtiu essa lista sobre o que fazer em Sydney na Austrália ou tem outras sugestões, compartilha com a gente.


Conteúdos Relacionados


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*