O que fazer em Ouro Preto Minas Gerais

Cidade colonial situada na Serra do Espinhaço, o Viajar é Vida mostra agora o que fazer em Ouro Preto Minas Gerais. A região é muito famosa pela arquitetura barroca em seus prédios históricos, pontos, praças e por onde quer que se olhe nas ruas calcetadas muito íngremes e sinuosas. A Praça central chamada de Tiradentes recebeu o nome do mártir da independência brasileira. Existem várias igrejas e capelas por toda a cidade, que reforçam a religiosidade do período barroco.

Se bastasse, a natureza também foi generosa com Ouro Preto. A Serra do Espinhaço onde está localizada é uma cadeia de montanhas que se estende de Minas Gerais até a Bahia. Ela recebe vários nomes ao longo dos seus mais de mil quilômetros de extensão. A parte que se avista na antiga Vila Rica, chamada de Serra de Ouro Preto, desempenhou papel fundamental nos séculos 17 e 18, não apenas pela descoberta do ouro, mas também pela urbanização que veio com a atividade mineradora. Preparado para esta viagem? Veja então o que fazer em Ouro Preto Minas Gerais.

O que fazer em Ouro Preto Minas Gerais
Foto: Ane Souz/Turismo Ouro Preto

Mina de Santa Rita e do Chico Rei entre as várias minas para serem visitadas

A Mina Santa Rita é umas das primeiras de Minas Gerais, foi aberta lá pelo século 18. Fica próxima ao sítio arqueológico de Padre Faria e mantém 115 metros de distância para visitação pública. Essa visita é guiada para manter o quesito segurança. Esta é uma típica mina com escavação que leva a vários túneis. Segundo os historiadores, esse labirinto até hoje não foi encontrado seu fim. Segundo os registros, a mina foi construída com mão de obra escrava. Para conhecer, os ingressos custam R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia). O atendimento é de terça a domingo, das 9h às 18h. Segundas-feiras podem ocorrer visitas se agendadas previamente.

Já a Mina do Chico Rei, diz a lenda, era propriedade de Chico Rei, um escravo que teria conquistado sua alforria e se tornado rico. Segundo essas mesmas histórias populares, ele teria sido o único negro a possuir uma mina de ouro nos tempos coloniais. As escavações hoje ficam nos fundos de uma propriedade privada. Apesar de ter cerca de 8 quilômetros quadrados com 175 galerias, somente parte delas pode ser visitada. Os ingressos custam a partir de R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia). O funcionamento é diário, das 8h às 17h.

Mina de Santa Rita e do Chico Rei entre as várias minas para serem visitadas
Foto: Turismo Ouro Preto
Mina de Santa Rita e do Chico Rei entre as várias minas para serem visitadas
Foto: Turismo Ouro Preto

Leia também

O que fazer em Ouro Preto Minas Gerais? Conhecer as várias igrejas como a de Nossa Senhora das Mercês e Perdões

Não faltam templos históricos por Ouro Preto. A Igreja de Nossa Senhora das Mercês e Perdões originou-se de uma capela primitiva encontrada anteriormente no mesmo lugar e que teria sido edificada em 1742. Em 1760 ela foi doada à Irmandade de Nossa Senhora das Mercês e dedicada aos negros nascidos no Brasil. A partir de 1775 o escultor Aleijadinho foi incumbido de desenhar a nova capela-mor e as imagens de santo internas, como a de São Pedro Nolasco e São Raimundo Nonato.

Hoje, além da igreja há também o Museu do Aleijadinho. O acervo é composto por peças encontradas no Santuário de Nossa Senhora da Conceição, na Igreja de São Francisco de Assis e na Igreja de Nossa Senhora das Mercês e Perdões. Um único ingresso dá acesso à Igreja de São Francisco de Assis e à Igreja de Nossa Senhora das Mercês e Perdões.

Outra igreja muito bela é a Basílica de Nossa Senhora do Pilar. Ela foi construída em taipa e madeira e concluída por volta de 1712. É considerada o mais antigo templo de Vila Rica, como Ouro Preto era chamada. A comunidade, achando muito pequena para a quantidade de fieis, decidiu pela demolição da antiga e construção da nova, iniciada em 1728.

Em 2012, o Vaticano concedeu o título de “basílica” à matriz, em função de sua importância artística, cultural e arquitetônica. Na prática, significa que o templo agora é “território do Papa” e que em termos de importância, está igualada às basílicas de Roma. O ingresso que dá acesso à Basílica permite também visitar o Museu de Arte Sacra, no subsolo da construção.

O que fazer em Ouro Preto Minas Gerais? Conhecer as várias igrejas como a de Nossa Senhora das Mercês e Perdões
Foto: Marcelo Tholedo

Cidade histórica tem muito o que contar em seus museus

Entre os vários museus, está o da Casa dos Contos, cujo prédio foi construído em 1784. Ao longo da história fez parte do dia a dia da cidade, como ter servido de refúgio para as tropas do vice-rei e depois prisão nobre de Inconfidentes, como Cláudio Manoel da Costa.  Desde 1973 o imóvel está restaurado. No interior do prédio existem exposições documentais numismáticas da Casa da Moeda do Brasil e do Banco Central do Brasil e outras mostras culturais que, junto ao mobiliário e à singular arquitetura, compõe um rico acervo.

Já o Museu da Inconfidência fica no coração da Praça Tiradentes e sua obra foi entre os anos de 1785 e 1855. Ele serviu como Casa de Câmara e também de cadeia, onde se manteve assim até o começo do século 20. Na década de 1930, os restos morais dos inconfidentes extraditados para a África foram trazidos de volta ao Brasil e instalados no Panteão dos Inconfidentes, imponente e respeitoso salão do edifício.

A história de Ouro Preto está muito ligada também à vida e arte do escultor Aleijadinho, que também foi homenageado em um museu por aqui. Criado em 1968 era para reunir em um só espaço peças de arte sacra e documentos gráficos com a finalidade de conservar, preservar e difundir o precioso acervo da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição.

Aleijadinho era um artista nascido na cidade, batizado de Antônio Francisco Lisboa. Poucos Pouco se sabe com certeza sobre sua biografia, que permanece até hoje envolta em um véu de lenda e controvérsia, tornando muito árduo o trabalho de pesquisa sobre ele e ao mesmo tempo transformando-o em uma espécie de herói nacional.

Cidade histórica tem muito o que contar em seus museus
Foto: Turismo Ouro Preto
Cidade histórica tem muito o que contar em seus museus
Foto: Turismo Ouro Preto

Estar pertinho das belas paisagens também na lista do que fazer em Ouro Preto Minas Gerais

Para um programa mais junto à natureza, mas sem deixar de lado o charme do passado, vale fazer o passeio de Trem da Vale que liga as cidades históricas de Ouro Preto e Mariana, em Minas Gerais. O trem possui 6 carros de passageiros que são mantidos como no passado, no mesmo desenho antigo com seu interior em madeira. Um deles é panorâmico, o que permite a contemplação das belas paisagens e da cachoeira. Ao todo, o trem pode levar até 292 passageiros ao mesmo tempo.

Se tiver a chance de estar ainda mais em contato com a natureza, vale subir o Pico do Itacolomi. A formação rochosa chega a 1.772 metros de altitude e já serviu como ponto de referência para os bandeirantes durante a busca pelo ouro nos séculos 17 e 18.

Para chegar é necessário subir uma trilha de 7 quilômetros com nível médio a difícil. O atrativo fica no Parque Estadual do Itacolomi, onde também estão o Museu do Chá e a Lagoa da Capela.

Estar pertinho das belas paisagens também na lista do que fazer em Ouro Preto Minas Gerais
Foto: Ane Souza/Turismo Ouro Preto

Gostou destas dicas sobre o que fazer em Ouro Preto Minas Gerais? Que outros lugares você recomendaria para quem ainda não conhece a região? Deixe sua sugestão nos comentários do Viajar é Vida.


Conteúdos Relacionados


Um comentário

  1. Pingback: O que fazer em Ouro Preto Minas Gerais – Blog do Raimundo Cunha – Jornalismo político com responsabilidade

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*