Tem viagem de trem no Brasil?

Sempre ouvimos muito falar em percursos de trem entre os diferentes países da Europa, o verdadeiro sonho do viajante. Mas pouca gente sabe é que tem viagem de trem no Brasil. São percursos que servem principalmente como roteiro turístico e é este o apelo que vem sendo trazido para motivar mais e mais interessados nestes trechos ferroviários do país. Estima-se que existam cerca de 30 mil quilômetros de trilhos ainda em funcionamento do país, a maioria para transporte de cargas.  

Mas, mesmo em período de pandemia, dois novos roteiros são apresentados ao setor turístico: um em São Paulo e outro no Paraná. Junto a outros, o país vai montando uma rota bem agradável e mostrando aos viajantes que é possível ter este tipo de experiência também internamente. O Viajar é Vida mostra neste post que tem viagem de trem no Brasil e aponta quais os mais famosos.

Tem viagem de trem no Brasil
Foto: divulgação

Novos trajetos de trem recém-lançados no país

Nos últimos 6 meses, surgiram o Trem Caiçara, que opera o trecho entre Morretes e Antonina, no Paraná, e o Trem Republicano, entre Salto e Itu, no interior de São Paulo. O trecho paranaense é de responsabilidade da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF) e a linha foi inaugurada em novembro de 2020. O trem é tracionado por uma locomotiva datada de 1884, sendo uma das mais antigas do Brasil ainda em operação. São 16 quilômetros passando por trechos de Mata Atlântica e manguezais e a capacidade operacional de transportar quatro carros de passageiros.

Já o Trem Republicano foi concedido à iniciativa privada e é mantido pela Serra Verde Express. A operação iniciou em dezembro de 2020 e percorre 7,6 quilômetros no interior de São Paulo, cortando rio e áreas verdes do estado.

Trem Caiçara foi reaberto durante a pandemia
Foto: divulgação

Leia também

Em breve, mais um trecho será concluído

A mesma ABPF que opera no Paraná está prevendo a recuperação da linha que vai de Cruzeiro, em São Paulo, até a divisa com Minas Gerais. Para isso, vem recuperando 25 quilômetros de trilhos. Pelo menos 3 locomotivas já foram levadas de São Paulo para a cidade do interior para serem preservadas também. O transporte foi feito pelos próprios trilhos e foram necessários quatro dias de viagem com paradas em Itaquaquecetuba, São José dos Campos e Roseira, até chegar a Cruzeiro, distante 219 quilômetros.

A recuperação do trecho entre Cruzeiro e a divisa com Minas Gerais é uma obra bastante cara já que são necessários 38 mil dormentes ou um investimento de R$ 11 milhões só nesta etapa. Somando os outros custos, a obra deve custar cerca de R$ 15 milhões. Se o cronograma seguir conforme previsto, a intenção é chegar ao final do ano até a estação Rufino de Almeida. Isso equivale a 6 quilômetros de obras finalizados.

A estação de Cruzeiro foi inaugurada pela Estrada de Ferro D. Pedro II em 1878, como parte do Ramal de São Paulo. A partir de 1884, passou a ser o ponto de partida da Estrada de Ferro Minas e Rio (EFMR) que levava até Três Corações, em Minas Gerais. A ferrovia tinha este nome porque deveria sair de uma estação na Província do Rio de Janeiro, porém o Major Novaes, dono de terras que hoje compõe o território de Cruzeiro, tinha grande influência política e também possuía amizade com o imperador Dom Pedro II, de modo que teve grande papel na decisão em fazer com que o trajeto da nascente rede ferroviária começasse em Cruzeiro.

Registro histórico mostra como era a estação de Cruzeiro
Foto: divulgação

Tem viagem de trem no Brasil? Sim, e a Serra Gaúcha é uma delas

Quem visita o Vale dos Vinhedos no Rio Grande do Sul já coloca no plano de viagem um passeio com o Trem Maria Fumaça da Serra Gaúcha, entre as cidades de Bento Gonçalves e Carlos Barbosa. A locomotiva a vapor percorre 23 quilômetros num trecho conhecido pelos vinhos, queijos e por outras boas tradições trazidas pelos colonizadores italianos que adotaram a região em séculos passados.

O interessante é que como o passeio é estritamente turístico, os vagões viram palcos para apresentações artísticas dos colonizadores e tem até degustação de comida e bebida típicas enquanto o trem segue em meio à paisagem local.

Tem viagem de trem no Brasil? Tem e a Serra Gaúcha é uma delas
Foto: divulgação

Sudeste responde se tem viagem de trem no Brasil

O interior de São Paulo foi um dos locais do país com o maior número de linhas ferroviárias. Por isso o Trem Maria Fumaça de Campinas, que vai até Jaguariúna é uma das remanescentes deste período. O trajeto tem ligação com o passado cafeeiro da região e tem cerca de 45 quilômetros. O passeio é guiado, com orientações e informações que remontam a história da região. E junto ainda tem o belo cenário verde, incluindo algumas fazendas de café.

O Viajar é Vida já mostrou e vale destacar mais uma vez o Expresso Turístico da CPTM, que faz passeios geralmente aos domingos partindo da Estação da Luz em São Paulo até Paranapiacaba. Os vagões lembram os serviços realizados nos anos 1960 (incluindo com os funcionários vestidos como na época) e é uma ótima forma de conhecer um pouco mais da história de São Paulo.

A cidade do interior foi onde ficaram os imigrantes ingleses no fim do século 19, vindos ao Brasil para a construção da ferrovia paulista. A antiga vila inglesa até hoje conserva uma arquitetura diferenciada, como o maquinário do Relógio da Estação Alto da Serra e o Clube União Lyra Serrano.

Paranapiacaba é outra linha famosa mantida para turismo
Foto: divulgação

Minas Gerais e Espírito Santo possuem inclusive trem que funciona diariamente transportando passageiros

Ainda no Sudeste, mas no estado de Minas Gerais, um passeio bem interessante é o que vai de Tiradentes a São João Del Rei. As duas cidades são bastante históricas e a distância de 12 quilômetros entre as duas é feita por um trem puxado por uma Maria Fumaça na antiga Estrada de Ferro Oeste de Minas que existe desde 1881. A viagem leva cerca de 45 minutos.

Também em Minas, o Trem da Vale de Ouro Preto liga Outo Preto a Mariana. São 18 quilômetros de percurso, numa viagem que leva cerca de uma hora de duração. Mariana foi a primeira capital mineira e esta é considerada a Rota do Ouro. Relembra um período importante da história brasileira e apresenta ao viajante cenários incríveis já que os trilhos passam por cachoeiras, vales e túneis.

Outra linha férrea é a que vai de Vitória a Belo Horizonte. No caminho passa por vários municípios e é atualmente o único trem diário de passageiros em atividade no país. São cerca de 3 mil passageiros todos os dias.

Cerca de 3 mil pessoas passam diariamente na linha férrea entre BH e Vitória
Foto: divulgação

Fama da linha Curitiba-Morretes mostra que tem viagem de trem no Brasil, sim!

A linha que sai de Curitiba e vai até Morretes é outro passeio muito conhecido no país. O trajeto passa pela Serra do Mar o que garante uma das mais belas vistas. O trem vai descendo fazendo ziguezague por um trecho bem preservado de Mata Atlântica, circulando por entre as montanhas em pontes tão estreitas que dão medo à primeira vista. Este trecho é bastante histórico. Existe desde 1885, durante o período de exportação de madeira e erva-mate.

Os destaques da engenharia erguidos para que esta linha passasse a funcionar impressionam os passageiros. O trajeto de 110 quilômetros dura cerca de 4 horas de viagem. É um dos mais longos passeios de trem do Brasil. O desembarque na cidade histórica de Morretes é a oportunidade para conhecer – e se deliciar – com um prato típico desta região do Paraná: o barreado.

Linha Curitiba-Morretes é uma das mais turísticas do Brasil
Foto: divulgação

Entidade preserva a história ferroviária do Brasil

A Associação Brasileira de Preservação Ferroviária faz também um trabalho muito importante ao preservar (e recuperar) linhas e manter serviços como os abaixo em 4 estados do país.

Em Minas Gerais

No Rio de Janeiro

Tem viagem de trem no Brasil? Sim, em Santa Catarina

Tem viagem de trem no Brasil? Sim, e Rio Negrinho é uma delas
Foto: divulgação

Em São Paulo

Você já teve a oportunidade de viajar de trem no Brasil ou no exterior? Como foi sua experiência? Compartilhe com os leitores do Viajar é Vida deixando seu relato nos comentários.


Conteúdos Relacionados


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*