Roteiros nos Caminhos dos Cânions do Sul

A atuação do turismo em consórcios intermunicipais é algo exemplar em Santa Catarina. As cidades se fortalecem ao unir forças e com isso conseguem trazer mais viajantes, ganham mais apelo de divulgação e poder de barganha. A mais nova região turística que surge é a Caminhos dos Cânions do Sul que une 15 municípios do extremo Sul do Estado. Sabendo da novidade, o Viajar é Vida foi atrás de dicas de roteiros nos Caminhos dos Cânions do Sul.

O lugar que sempre foi local de passagem (antes dos tropeiros gaúchos que cavalgavam para São Paulo e Minas Gerais e mais recentemente dos moradores do Rio Grande do Sul atrás das praias mais ao Centro e Norte catarinense) quer ser visto como um lugar de paragem! Aqui você vem, conhece e aproveita alguns dias.

A união dos municípios de Maracajá, Morro Grande, Meleiro, Turvo, Timbé do Sul, Jacinto Machado, Araranguá, Ermo, Sombrio, Santa Rosa do Sul, Balneário Arroio do Sul, Balneário Gaivota, São João do Sul, Praia Grande e Passo de Torres deve criar um novo cenário e estimular ainda mais a atividade turística. Pra nós, viajantes, mais uma forma de sermos bem recebidos e curtir estes cenários tão especiais dos Caminhos dos Cânions do Sul.

As paisagens do Sul catarinense são incríveis, com cânions, áreas rurais e proximidade com o litoral
Foto: Adriano Daka

Dicas de roteiros nos Caminhos dos Cânions do Sul

Existe um projeto chamado Geoparque Cânions do Sul que trabalha pela conservação dos principais sítios geológicos da região, favorecendo o uso sustentável destes locais para fins como pesquisa científica, atividades educativas e atividades turísticas de mínimo impacto ao meio ambiente. Em meio a este projeto estão áreas de cânions, de praias, dunas e cachoeiras. São cenários entre a serra e o mar com riquezas que proporcionam experiências únicas.

Nesta nova iniciativa, o viajante poderá praticar um esporte radical ou curtir os prazeres da boa mesa. Aproveitar do campo à cidade. Participar de grandes eventos ou simplesmente desfrutar do cantar dos pássaros. O viajante poderá ainda conhecer um pouco da história nos museus, ou experienciar a vida dos antepassados conhecendo pessoalmente as trilhas por onde circulavam os tropeiros.

A educação para a sustentabilidade é um dos pilares do Projeto Geoparque Cânions do Sul. A ideia é estimular a conscientização sobre a importância de preservar o patrimônio natural e cultural do território para as futuras gerações. Já são realizadas práticas pedagógicas da rede de ensino dos sete municípios que integram projeto, com diversas atividades executadas em sala de aula sobre o tema.

A atuação conjunta prevê agora a melhoria na estrutura turística. A partir de um estudo da Universidade Federal de Santa Catarina esses municípios devem melhorar os meios de hospedagem, a gastronomia local e as atrações de passeios ao Caminhos Cânions do Sul.

Com este novo formato, os viajantes poderão conhecer a região desfrutando de pacotes de 2 a 7 dias. O visitante poderá escolher entre as diferentes atividades como cicloturismo, aventura, ecoturismo, mais de 150 trilhas, contemplação de pássaros, passeios de balão e mais de 60 cachoeiras.

Nas dicas de roteiros nos Caminhos dos Cânions do Sul tem muita novidade
Foto: divulgação

Cânion Malacara e Trilha do Rio do Boi

Na cidade de Praia Grande fica o Cânion Malacara, localizado no Parque Nacional da Serra Geral. O viajante vai aproveitar uma trilha de nível médio com uma hora e meia de caminhada pela encosta do rio. Depois, poderá fazer um passeio a cavalo por trilhas históricas que serviram de caminho para os tropeiros.

Na Trilha do Rio do Boi a saída deve ser bem cedo, já que ela é fechada à tarde. Conhecer o Cânion Itaimbezinho por dentro é uma aventura com duração de um dia. O percurso é em mata fechada e pelo leito do rio. São pelo menos 8 horas de caminhada considerando ida e volta.

A trilha do Rio do Boi é comprida e leva tempo. Ainda assim está entre as dicas de roteiros nos Caminhos dos Cânions do Sul
Foto: Priscila Gamba

Contemplação da natureza e visita a outros cânions

Em Cambará do Sul, dependendo da época do ano, o viajante será apresentado ao verdadeiro clima do Sul do País. Rica em sua gastronomia, de povo acolhedor, completa infraestrutura turística, recebe turistas o ano todo, principalmente pela importância de seus dois geossítios, ambos de relevância internacional: os cânions Fortaleza e Itaimbezinho. Chegando na cidade, procure uma das agências localizadas no centro do município ou o Centro de Atendimento ao Turista porque circular com guias é importante para a segurança.

No Parque, o visitante poderá fazer inúmeros passeios como a Trilha do Mirante, com intensidade média e duração de aproximadamente 1 hora e 30 minutos. A Trilha Cachoeira do Tigre Preto é um pouco mais intensa, um percurso de 3 km passando por dentro de uma cachoeira. Após a parada para o lanche, segue-se em busca de mais uma aventura: a trilha da Pedra do Segredo, umas das paisagens mais fotografadas dos cânions: um bloco monolítico de 5 metros de altura pesando aproximadamente 30 toneladas, que está equilibrada em uma base de somente 50 cm.

Para onde quer que se olhe, sempre há uma bela paisagem no Sul de SC
Foto: Enio Frasseto

Natureza milenar e resquícios históricos nas paleotocas fazem parte das dicas de roteiros nos Caminhos dos Cânions do Sul

Nesta região você encontra ainda a cidade de Timbé do Sul que cheia de belezas. A Capital Catarinense das Montanhas e Águas Cristalinas já traz no seu título aquilo que os viajantes mais buscam. Entre os atrativos está a trilha até a Cachoeira da Cortina que é de nível fácil e onde o visitante vai encontrar muitos animais silvestres e mata densa. À tarde, no mesmo dia, a sugestão é seguir em direção ao Geossítio Portal do Palmiro. No percurso de 3 horas o turista encontrará 3 cachoeiras de águas cristalinas: a das Bromélias, a da Begônia e a da Grota do Macuco. O ponto alto da aventura é a visita a uma paleotoca com diversas rupestres, abrigo de animais pré-históricos, escavada no arenito Botucatu.

Por falar em Paleotocas, no município de Morro Grande há outras. A atividade começa com trilha de dificuldade leve em direção às populares Furnas dos Índios Xoclengs. Essas estruturas são paleotocas que foram escavadas por animais mamíferos gigantes da Mega Fauna. Nos mais de 140 metros de galerias subterrâneas, é possível ver marcas das garras destes animais, retrato único de mais de 10 mil anos. Tempos mais tarde, essas mesmas estruturas teriam sido utilizadas como abrigo por Índios Xoclengs que viveram na região.

São diferentes cânions e paisagens únicas neste trecho de Santa Catarina
As paleotocas são resquícios históricos e revelam hábitos locais.
Foto: Divulgação

Curtiu este passeio pelo Sul de Santa Catarina?  O que achou das dicas de roteiros nos Caminhos dos Cânions do Sul? Deixe seus comentários ou sugestões para os leitores do Viajar é Vida.


Conteúdos Relacionados


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*