Roteiro de viagem por Campo Grande MS

Localizada no Centro-Oeste brasileiro, a capital do Mato Grosso do Sul é o nosso destino deste post do Viajar é Vida. Conheça um roteiro de viagem por Campo Grande MS. A cidade foi fundada em 1899 por mineiros, que vieram aproveitar os campos de pastagens nativas e as águas cristalinas da região dos cerrados. Durante anos, foi reduto dos chamados divisionistas, gente que queria ver a separação do Mato Grosso em Sul e Norte. A divisão realmente ocorreu e o hoje o estado é muito conhecido pelo trato e manutenção dada às comunidades indígenas.

“Roteiro de viagem por Campo Grande MS”

Fotos: Prefeitura de Campo Grande

Parque das Nações Indígenas reforça relação da cidade com as comunidades antigas

Um parque urbano, bem localizado, com 119 hectares e infraestrutura adequada ao lazer, aos esportes, ao convívio entre as pessoas. Assim é o Parque das Nações Indígenas que aproveita das águas da nascente do córrego Prosa para uso de um lago onde são comuns as práticas esportivas. Quem visita se encanta pela natureza e por poder acompanhar o dia a dia dos moradores da capital Campo Grande. O Parque das Nações Indígenas possui quadras de esportes, pista de skate, patins e bicicleta, sanitários, pista para caminhada de quatro mil metros em asfalto além de diversos parquinhos infantis próximos às entradas. No quesito segurança, o parque tem policiamento e é vigiado 24 horas por dia pelas câmeras da Polícia Militar. Ao ir visitar, fique atento à programação cultural na Concha Acústica Helena Meirelles.

Neste roteiro de viagem por Campo Grande MS vale destacar os quase 70% da vegetação serem formados por gramíneas e árvores ornamentais originárias do seu projeto de paisagismo. Outra grande quantidade de espécies é preservada, como o jenipapo, a mangueira e a aroeira. O nome do parque é uma homenagem aos povos que ocupavam o território sul-matogrossense no passado. Elas, inclusive, dão nomes às entradas do local: guarany, kaiowá, nhandevas, kadiwéu, terenas e ofaiés.

Roteiro de viagem por Campo Grande MS: Museu do Índio

Também chamado de Museu do Índio, o Museu das Culturas Dom Bosco mantém um acervo em exposição e também possui salas para as atividades práticas com escolas e grupos, auditório para 130 pessoas e uma biblioteca específica em artes plásticas. O Museu das Culturas Dom Bosco foi idealizado pela Inspetoria Salesiana de Mato Grosso em 1950 e inaugurado em 27 de outubro 1951 pelos padres salesianos. O museu é conhecido mundialmente pelo rigor científico de seu acervo. Localiza-se no Parque das Nações Indígenas.

Monumento homenageia povos que contribuíram na Guerra do Paraguai

O Monumento do Cavaleiro Guaicuru é uma escultura que fica em uma pequena ilha no lago do Parque das Nações. Com 7 metros de comprimento e 4 de altura, a escultura é uma produção de Anor Mendes, artista plástico local. A peça representa uma das etnias de índios guaicurus considerada equestre pois incorporaram a criação de cavalos a seu modo de vida. Os guaicurus tiveram participação significativa na Guerra do Paraguai ajudando o Exército Brasileiro e combatendo como força regular brasileira.

No roteiro de viagem por Campo Grande MS conheça o Museu de Arte Contemporânea

O Museu de Arte Contemporânea de Campo Grande também fica no Parque das Nações Indígenas e possui em seu acervo obras antigas e contemporâneas de artistas plásticos locais. Muitos dos materiais vieram da Pinacoteca Estadual, com os prêmios aquisitivos dos salões de arte realizados a partir de 1979 e, mais tarde, através de doações espontâneas de artistas, colecionadores e instituições culturais. São pelo menos 1.600 obras de diferentes modalidades da arte. São cerca de 4 mil metros quadrados de área física, com 5 salas de exposição.  A sede é um projeto assinado pelo arquiteto Emmanuel de Oliveira, começou a ser construída em 1993 e foi concluída somente em julho de 2002. A inauguração deu um outro rumo à arte do Mato Grosso do Sul, que ganhou novo impulso.

Memorial da Cultura Indígena é dentro de aldeia urbana

A reforma do Memorial da Cultura Indígena foi inaugurada em 2018 com representantes da embaixada do Canadá, já que a proposta prevê o fomento das parcerias entre as comunidades indígenas e mulheres do Mato Grosso do Sul e o país da América do Norte. O Canadá apoiou a revitalização  com recursos do “Fundo Canadá para Iniciativas Locais”, que financia projetos em áreas prioritárias do país, como direitos humanos, diversidade e inclusão e empoderamento de comunidades indígenas e mulheres. O Memorial da Cultura Indígena foi criado em 30 de agosto de 1999, como um centro de valorização e promoção das etnias presentes em Campo Grande.  

O memorial fica na Aldeia Urbana Marçal de Souza que possui 135 casas e abriga uma comunidade de índios Terena. É a primeira do gênero a ser construída no Brasil. O nome é uma homenagem ao índio Guarani Kaiowá, defensor dos direitos de seu povo, assassinado na Aldeia Campestre, no Sul do Estado, em 1983. A Aldeia Urbana surgiu pela força da liderança da índia Terena Enir Bezerra da Silva, a primeira cacique-mulher do país, falecida em junho de 2016.

Mercadão vende produtos locais a preços convidativos

No roteiro de viagem por Campo Grande MS, o Viajar é Vida não poderia deixar de lado o mercado público. Como em toda cidade, o Mercado Municipal Antônio Valente acabasendo apelidado de Mercadão. São mais de 2 mil metros quadrados de área onde estão 114 bancas e 77 boxes. Nestes locais, o visitante e os moradores aproveitam muito da produção local de hortifrutigranjeiros, pescados e afins. Os preços são bem convidativos e a maioria dos comerciantes descendem de japoneses. A inauguração do Mercadão de Campo Grande foi em 1958! Era uma feira livre que ocupou aquela região até cerca dos anos 2000. Em 2006 foi revitalizado, ganhou estacionamento, instalação com luminárias internas e externas, pintura nova e uma reforma no telhado.

Conservação da natureza e sala de aula ambiental, assim é o Parque do Prosa

O Parque Estadual do Prosa mantém a ligação das pessoas com o meio ambiente. Criado como área de conservação, possui 135 hectares e está situado dentro do perímetro urbano do município de Campo Grande. Desde que foi aberto, tem como meta preservar amostras de ecossistemas do cerrado, espécies da flora e fauna, as nascentes do Córrego Prosa, além de fazer a valorização do patrimônio paisagístico e cultural da região.

O Parque Estadual do Prosa representa um importante instrumento para ser usado na sensibilização do público, através de visitas que servem como forma de educar e orientar as pessoas para conservação do ambiente natural e seus recursos. As visitas são agendadas e há regras de visitação, como uso de roupas compridas, calçados fechados, menores precisam ir acompanhados de adultos responsáveis e é preciso chegar 10 min antes do horário marcado com os administradores.

Campo Grande é uma cidade muito interessante de ser visitada. Com sua relação junto às comunidades indígenas, acaba tendo uma brasilidade muito forte, mantida até hoje. Você já esteve por lá? O que achou do nosso roteiro de viagem por Campo Grande MS? Comente aqui no Viajar é Vida.


Conteúdos Relacionados


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*