Quais lugares estão abrindo pós-pandemia

O Verão no Hemisfério Norte e o período de quarentena fizeram com que alguns países ou regiões tomassem medidas de reabertura. O Viajar é Vida traz agora quais lugares estão abrindo pós-pandemia. Apesar de parecer confuso, principalmente em meio à situação em que vivemos no Brasil, estes locais estão preparados com medidas sanitárias, de higienização e de segurança.

Nem todos, no entanto, estão liberados para turistas de qualquer região. Esse controle ainda vem sendo feito. Brasileiros, por exemplo, ainda são “personas non gratas” se estiverem neste momento no Brasil querendo entrar em países estrangeiros.  Outros estão se fechando entre si. Como Estônia, Letônia e Lituânia que se uniram e formaram o que seria uma “bolha de viagem”. Isso significa que entre si, os cidadãos podem circular, conhecer todos os atrativos, manter uma vida praticamente dentro da normalidade.

Alemanha reabre, mas determina origem dos viajantes

Na Alemanha, desde o dia 15 de junho, os viajantes voltaram a ser bem-vindos. Para isso, foi criado um documento governamental que se chama “Critérios para a habilitação do turismo intra-europeu”. Ele aconselha ainda que as viagens sejam individualizadas por país. Ou seja, quem mora na Alemanha que tente permanecer apenas na própria Alemanha. É uma forma de incentivar o turismo interno, embora já estejam considerando a abertura para viajantes de países como Turquia, Reino Unido, Islândia, Liechtenstein, Noruega e Suíça. Vale destacar a reabertura da fronteira terrestre entre Alemanha e Áustria e a possibilidade de uma reviravolta nas determinações a qualquer momento, de acordo com o andamento da curva de contágio na Alemanha. A Alemanha entra na lista de quais lugares estão abrindo pós-pandemia.

Alemanha toma medidas, mas restringe origem dos viajantes
Foto: Gerd Rohs/Pixabay

Quais lugares estão abrindo pós-pandemia: Aruba, Bali e Tailândia

Para tentar reativar seu turismo, Aruba trabalha com a data de 1º de julho para a retomada das atividades com a liberação para viajantes do Exterior. A chegada será com aferição de temperatura e a divulgação de um código de saúde que regerá a limpeza sanitária e a segurança em saúde de todas as empresas que lidam com o turismo no país.

Na Ásia, Bali tem um histórico positivo em relação ao coronavírus. Foram menos de 350 casos confirmados. Se esses números conseguirem se manter, a expectativa é começar a receber os viajantes entre julho e outubro. A ilha da Indonésia depende essencialmente do turismo e em 2019 foram 6,3 milhões de visitantes registrados por lá. A entrada será monitorada e os viajantes deverão apresentar atestados médicos de que estão livres da doença. Está sendo estudada também uma conexão apenas entre Bali e Austrália, como uma “bolha de viagem” para evitar a presença de gente de outros lugares e ainda assim estimular o turismo entre os países que mais se relacionam.

Bali entre os lugares que estão abrindo pós-pandemia
Foto: Michelle Maria/Pixabay

A Tailândia prevê a reabertura por etapa, até o final do ano. Com 40 mil viajantes estrangeiros por ano, o país reagirá com limitações levando em conta a origem dos turistas e as regiões que terão as restrições relaxadas. O governo confirma que manterá o alerta e andará de acordo com os rumos da pandemia no país. As fronteiras da Tailândia seguem fechadas. A proibição de voos comerciais internacionais de entrada – excluindo aqueles de repatriamento – foi recentemente estendida até 30 de junho e o Aeroporto Internacional de Phuket permanece fechado. Como resultado, a previsão é que o número de visitantes caia para 14 a 16 milhões este ano. Como boa parte dos destinos mundiais, a Tailândia tem incentivado o turismo doméstico mas aos poucos vai dando passos na lista de quais lugares estão abrindo pós-pandemia.

Chipre estimulará o turismo pagando caso algum viajante fique doente no país

O Chipre além de reabrir, deve pagar hospedagem e alimentação para os viajantes que possam testar positivo para o coronavírus por lá. Ou seja, o país está se preparando para receber os turistas para garantir a economia. Para isso, além da verba destinada a esta possibilidade, também  foi feita a reserva de um hospital de 100 leitos para viajantes estrangeiros que se infectarem com o coronavírus durante a viagem. O país pensou ainda em um hotel de quarentena com 500 quartos para atender familiares desses pacientes. E o viajante só  vai precisar arcar com o custo do voo de transferência e repatriamento do aeroporto tão logo passe o período de isolamento.

Ah, mas vale destacar os lugares de origem dos viajantes que estão autorizados: voos vindos da Grécia, Malta, Bulgária, Noruega, Áustria, Finlândia, Eslovênia, Hungria, Israel, Dinamarca, Alemanha, Eslováquia e Lituânia , depois nos próximos dias Suíça, Polônia, Romênia, Croácia, Estônia e República Tcheca. Reino Unido, Brasil e Estados Unidos estão fora desta lista!!!!

Para entrar no Chipre, que figura entre quais lugares estão abrindo pós-pandemia, o viajante terá de apresentar certificado internacional válido comprovando que o teste deu negativo e terão a temperatura medida na chegada. Os estabelecimentos ligados ao setor turístico também seguirão regras, como uso de máscara, distanciamento social e desinfecção frequente dos espaços.

O Chipre reabrirá e até pagará caso algum visitante contraia a doença lá
Foto: Dimitris Vetsikas/Pixabay

Egito, Espanha, Islândia e França também recomeçam a abertura e entram na lista de agora quais lugares estão abrindo pós-pandemia

No Egito, que arrecada 1 bilhão de dólares por ano com o turismo, começou a relaxar nas medidas de quarentena, mas mantendo a segurança. A liberação da atividade está sendo cadenciada, e com alguns quesitos, como ter uma clínica médica com médico residente no local. E há também a obrigatoriedade do uso de máscaras em locais públicos e no transporte público. A retomada está prevista 1º de julho.

Dentro do próprio país a liberação está em andamento da França. Qualquer viajante que entrar no país (exceto os da União Europeia ou Reino Unido) terão de fazer 14 dias de quarentena obrigatória! A medida vale pelo menos até o dia 24 de julho, quando, então, será reavaliada. Viagens locais com até 100 quilômetros de distância estão sendo autorizadas, embora o governo deixe claro que não medirá esforços – e nem fechamentos – para tentar conter uma possível nova onda do coronavírus.

A Espanha que tanto sofreu com a pandemia e precisou fazer um lockdown dos mais restritivos de toda a Europa, prevê a reabertura das praias agora. A partir de 1º de julho, viajantes que estiverem na própria Europa poderão ingressar sem a necessidade de cumprir duas semanas de quarentena. Com países fora da União Europeia, a Espanha deve firmar um acordo bilateral, como uma “bolha de viagem”, para manter o surto sob controle.  A regra atual diz que toda pessoal de seis anos em diante tem a obrigação de utilizar máscara enquanto estiver em público, tanto em ambientes internos quanto externos.

Com 2 mil casos confirmados de Covid-19, a Islândia reabriu as fronteiras em 15 de junho. OS viajantes que chegam tem a opção de ficar em quarentena por 14 dias ou se submeter a um teste de Covid-19 na chegada ou fornecer prova de um teste recente. Os testes por lá custarão R$ 595 e passa a valer em 1º de julho.

O Egito vive do turismo e está abrindo para os viajantes
Foto: Iwo Bulski/Pixabay

Malta e Itália se ajustam para receber os viajantes

Com tantos mortos e um período de grande drama, a Itália prevê a reabertura para viajantes da União Europeia, além do Reino Unido, Andorra, Mônaco, San Marino e Vaticano. Antes, os visitantes eram obrigados a passar por uma quarentena de duas semanas para receber a autorização de entrada. Todos os museus, incluindo os do Vaticano em Roma, foram reabrindo lentamente ao longo de maio com regras estritas de distanciamento social. Alguns outros pontos turísticos também já estão em funcionamento, com regras de visitação como desinfecção, distanciamento social e uso de máscaras.

Será em 1º de julho a reabertura de Malta para visitantes de pelo menos 17 países. Logo após a confirmação do primeiro caso de Covid-19, o país implementou o isolamento e a quarentena de 14 dias para todo viajante que desembarcasse no país. Quem vem da Alemanha, Áustria, Chipre, Suíça, Islândia, Eslováquia, Noruega, Dinamarca, Hungria, Finlândia, Irlanda, Lituânia, Israel, Letônia, Estônia, Luxemburgo e República Tcheca terão permissão para entrar sem se isolar por duas semanas. A decisão sobre outros países deverá ser anunciada apenas na segunda quinzena do mês.

Malta entre os destinos que estão reabrindo as portas
Foto: Michelle Maria/Pixabay

Conteúdos Relacionados


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*