Brasileiros contam histórias de repatriação por causa do coronavírus

“Brasileiros contam histórias de repatriação por causa do coronavírus

A palavra repatriação quase nunca foi tão ouvida quanto agora. Milhares de brasileiros que estavam em outras partes do mundo e sofreram com o cancelamento de voos, precisaram de ajuda para retornar às suas casas. E vários viajantes profissionais, pessoas que estavam foram por um período sabático e vinham mostrando suas aventuras e dia a dia nas redes sociais, tiveram que cancelar o sonho de permanecer fora.

Por medida de segurança, e até por uma questão financeira, estar em outro país sem rendimentos (ou apenas com o que tem guardado)  não era a melhor saída. Além do que, dependendo do país, não há qualidade na saúde, nem sistema gratuito como acontece no Brasil com o SUS.

O Viajar é Vida acompanha as redes sociais de muitos blogueiros de viagem, alguns deles até já escreveram por aí, como o casal do Blog Destino Mundo (Ana e Rafael). Eles precisaram retornar do México e a repatriação foi contada nas postagens. Assim como os outros. Brasileiros contam histórias de repatriação por causa do coronavírus. Confira os relatos.

Foto: Pixabay

@blogdestinomundo teve de retornar do México

Gostaríamos de agradecer imensamente aos esforços do Consulado Brasileiro em prestar todo o apoio necessário para vencermos essa fase de dificuldades, que enfrentamos por conta dessa pandemia. Foi um susto enorme estar em outro país em um momento crítico para a saúde mundial, considerando que estávamos impedidos de regressar ao nosso lar por conta própria, devido ao fechamento das fronteiras e inúmeros cancelamentos de voos.

Foto: Instagram

Muitos brasileiros foram pegos de surpresa, assim como nós, por uma série de angústias e problemas que foram surgindo ao longo dessas últimas semanas. Não temos palavras para agradecer. Vocês que não mediram esforços, e dedicaram seu tempo e fizeram de tudo para que pudéssemos regressar em segurança.

Sabemos que foi trabalhoso organizar toda a logística para repatriação, fretar um avião, providenciar máscaras, luvas, lanche e água. Além de todo carinho e atenção com a qual nos atenderam em nossos maiores dias de angústia. É por pessoas como vocês que o nosso coração se enche de orgulho. Sabemos que o trabalho ainda continua e acreditamos que conseguirão ajudar tantos outros brasileiros que precisam de auxílio. Obrigada por tudo, mas principalmente por serem luz em tempos de escuridão!

A todo o Consulado e Embaixada Brasileira o nosso muito obrigada! Estamos em casa!

Ana e Rafael

Foto: Instagram

“Brasileiros contam histórias de repatriação por causa do coronavírus”

@viajoporquepreciso.vpp conseguiu sair da Colômbia

Já parou para pensar quantas vezes pedimos ajuda e nos esquecemos de agradecer? Muitas vezes fazemos campanhas pedindo ajuda e não fizemos campanhas de agradecimento. E por isso, esse post! Nos ajude a agradecer a Embaixada Brasileira na Colômbia por ter coordenado, organizado e se empenhando tanto na repatriação de quase 200 brasileiros que estavam presos na Colômbia como nós.

Estamos acompanhando outros viajantes, que estão em outros países e não estão tendo a mesma ajuda que recebemos. Nossa vida é viajar, porém nesse momento, nada melhor do que estar em casa, com segurança.⠀

Foto: Instagram

No YouTube postamos os vídeos mostrando essa maratona. Agradecimento a todos vocês que torceram e vibraram a cada conquista que íamos tendo para poder voltar para casa. E um desabafo de quarentena! Todos nós sabemos o quanto o futuro é incerto, que não temos controle nenhum sobre o milésio de segundo à frente em nossa vida! Incrível que no dia a dia nos esquecemos disso com a maior facilidade.

Várias coisas estão na cabeça, desde pessoais quanto coletivas: – Quantas vidas perderemos? – Quantas famílias passarão até fome? – Será que nossas empresas vão sobreviver a isso tudo? – Será que nosso emprego continuará? – Será ? – Será? (…)  Mas acho de verdade tudo isso está deixando claro o quanto temos que aprender a viver o hoje! E hoje temos que cuidar da saúde em primeiro lugar! E vamos fazer o que está ao nosso alcance!

Franci e Du

Foto: Instagram

“Brasileiros contam histórias de repatriação por causa do coronavírus”

@caiotravels veio num voo repleto de brasileiros

Foto: Instagram

O brasileiro é o melhor e eu posso provar. Em 72 anos esse foi o primeiro voo da cia aérea Garuda até o Brasil e com certeza os brasileiros e a tripulação jamais vão esquecer desse voo.

Depois de quase 40 horas no voo de repatriação com os brasileiros retidos no Vietnã, Tailândia e Indonesia, a tripulação sugeriu que cantássemos o hino nacional… e cantamos.

Ahhh, enfim em casa! Depois de tanta espera, medos, incertas e loooongas horas de voo, terminar a viagem nesse clima, feliz, descontraído, não tem preço! Vamos deixar as coisas mais leves. Quem faria o mesmo no voo?

Caio

Foto: Instagram

“Brasileiros contam histórias de repatriação por causa do coronavírus”

@vcollebersch saiu da Tailândia para o Brasil

E de xadrez passou a jogo de futebol. Colocamos uniforme e meiões e decidimos entrar em campo já com minutos de atraso. O placar da final da final da copa do mundo estava 3×1 para eles. Aos saímos de Phuket, ilha que estava totalmente fechada, marcamos o segundo gol. 3×2. Chegamos no hotel em Bangkok, hotel e comida por conta da embaixada, sentíamos que podíamos empatar em 3×3.

A estratégia do jogo não mudou em nenhum momento, toda hora acreditamos que íamos virar a partida. Rezamos muito. E em nenhum momento passou pelas nossas cabeças que iríamos perder a Copa. A energia que trouxemos pro campo não tem como descrever. A lista de espera tinha 60 nomes, os nossos eram os últimos 5. Que baita gol contra.

Foto: Instagram

Nessa altura do campeonato, 45 do segundo tempo estava 4×2 pra eles.

Chegamos no aeroporto e metemos um gol de placa. Os únicos da lista de espera no saguão éramos nós. 4×3.Pessoal da embaixada e consulado eram os juízes do jogo. Cada minuto, um respiro, pingos de suor e ansiedade que só aumentava. Empatamos. 4×4. 15 pessoas da lista principal não vieram.

Mas o jogo só termina quando o juiz apita.

Foi pra pênaltis. Chegaram pessoas da lista de espera. Cada pessoa um gol deles. E quando estava 4×4, faltava um pênalti pra cada… Nos chamaram no balcão perguntando nosso nome. Nosso goleiro defendeu.

E ao minuto seguinte nos chamaram de novo e pediram nossos passaportes e a notícia final: VOCÊS ESTÃO NA LISTA PRINCIPAL E VÃO EMBARCAR.

Metemos gol. Choramos. Nos abraçamos. Gritamos gol, literalmente. E estamos levando a taça pra casa. Foi o final mais feliz de uma viagem (ou partida de futebol, ou jogo de xadrez) de mais de um ano de duração. Agora, o time esta voltando pra casa, descansar e esperar a próxima convocação.

Victória

Foto: Instagram


Conteúdos Relacionados


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*