O que saber sobre um intercâmbio

Estive em três diferentes cidades para estudar, depois de ter passado dos 30 anos de idade. Aproveitei períodos curtos, de 4 semanas, para me dedicar ao aprendizado do inglês e aproveitar para turistas muito nas regiões onde estaria hospedado. Com essa experiência, levantei informações sobre o que saber sobre um intercâmbio para ajudar quem também está disposto a mudar de ares, aproveitar as férias de maneira mais produtiva e voltar para o Brasil com uma bagagem ainda maior: a do conhecimento. Acompanhe agora no Viajar é Vida.

O que saber sobre um intercâmbio: qualquer pessoa, de qualquer idade, pode fazer
Foto: Brigachtal/Pixabay

Algumas dicas são mega importantes para o que saber sobre um intercâmbio

  • Não, você não precisa passar seis meses ou um ano no Exterior para fazer intercâmbio. Tem cursos a partir de uma semana;
  • Você não precisa trocar de casa com alguém de fora do Brasil. Mas se quiser, pode se inscrever também para isso!;
  • Não há regra de idade para estudar fora do país. E se o inglês já supre as necessidades, dá para encarar cursos como gastronomia, marketing e negócios;
  • A rotina de ir para uma escola reforça os laços de amizade. Você acaba ganhando amigos dos quatro cantos do planeta;
  • O bom do intercâmbio é que você vai para aprimorar um idioma e ainda faz turismo. E conhece o dia a dia de uma cidade internacional vivendo nela!
  • A internet é a solução para seus problemas de saudade de casa. Dá para marcar horário diário e conversar com seus familiares aqui no Brasil e manter todos tranquilos.
Você pode aliar aulas de idioma com o seu hobby ou gosto pessoal, como culinária, em um intercâmbio
Foto: StockSnap/Pixabay

Diferentes programas focam no aprendizado de outro idioma aliado ao seu hobby ou gosto

Quando um brasileiro decide estudar inglês fora do Brasil, há diferentes programas. Geralmente as agências de intercâmbio tentam identificar o perfil de cada um para encontrar um formato que não gere choque cultural. Há quem prefira o sistema “homestay”, que é ficar em uma casa de família.

Vale ressaltar que todas as famílias são selecionadas com rigor pelas escolas. Na Quest Languages Studies, que foi a minha escola em Toronto, no Canadá, as casas recebem avaliação dos alunos e podem até ser eliminadas para novos recepcionistas. Essa é uma das hospedagens mais pedidas, pois o custo/benefício compensa. A “mãe” canadense é responsável pelo café da manhã, em alguns casos pelo almoço que se leva para a escola e depois pelo jantar. A minha até lavava a minha roupa. Estive no céu e muito bem alimentado.

Para quem quer preservar a individualidade ou independência, há acomodações em casas apenas com estudantes ou quartos e banheiros privados em acomodações exclusivas de estudantes. E, é claro, há ainda hotéis e flats para o mesmo fim. Resumindo, de acordo com a exigência e bolso do aluno, a hospedagem não será problema para se adaptar a uma nova vida no seu destino de intercâmbio.

Existem diferentes formas de hospedagem, de casa de família a hotel e isso é o que precisa saber sobre um intercâmbio
Foto: Skeeze/Pixabay

O que saber sobre um intercâmbio: mais dicas

  • Se o objetivo é aprender inglês, tente conviver menos com brasileiros. Pratique o inglês 100% do tempo.
  • Se não souber algo, pergunte. Nas ruas, todos estão habituados a dar informações e também a lidar com estrangeiros. Na dúvida, recorra a profissionais que trabalhem nas estações de metrô ou nas lojas;
  • Não deixe de fazer algo por vergonha de se comunicar. Vergonha é não aproveitar tudo o que o destino que você sempre sonhou oferece.

O que um intercâmbio pode mudar na sua vida profissional  

Depois de Toronto, Sydney e Nova York, eu aproveitei o que os jovens empreendedores estão cada vez mais atentos: oportunidades. E isso inclui a possibilidade de gerar negócios internacionais. Uma maneira interessante de iniciar esse processo é por meio de um intercâmbio de estudos no Exterior, aliando o aprimoramento de um idioma com o networking que a experiência proporciona para projetos futuros. Essas viagens deixaram de ser exclusividade de adolescentes e têm ganhado espaço entre pessoas com mais de 30 anos.

O que se aprende em um intercâmbio vai além do aprendizado de um idioma
Foto: Diggity Marketing/Pixabay

Os meus três intercâmbios sempre fizeram com que eu voltasse cheio de ideias e implementasse algumas delas para o crescimento de sua empresa. Destaco agora 6 pontos importantes para quem quer qualificar sua carreira ou empresa.

  • Visão global: conhecer outros países, vivenciar outras culturas, conviver com pessoas dos diferentes cantos do mundo dará a você uma amplitude de percepção e uma grande bagagem que poderá ser aproveitada tanto pessoal quanto profissionalmente. Uma viagem internacional em um local muito diferente do nosso é ainda mais encantadora. Faz a gente entender que o mundo está realmente muito próximo e que essa macro visão é extremamente importante para o nosso cotidiano.
  • Jogo de cintura para situações adversas: por ser uma outra realidade, é natural que no dia a dia de um intercâmbio tenhamos que lidar com situações muito diferentes daquelas já acostumadas. Se virar em outro idioma, entender que a nossa verdade não é absoluta e rir mesmo dos percalços é importante para o amadurecimento profissional.
Grandes cidades têm várias escolas, mas se você pesquisar, vai encontrar ótimas escolas para fazer sua viagem a cidades menores
Foto: Pixabay

“O que saber sobre um intercâmbio

  • Espírito de equipe: invariavelmente num intercâmbio com aulas programadas você terá contato com pessoas das mais diferentes nacionalidades. E terá de trabalhar em grupo com esses desconhecidos, cujos pensamentos – na maioria das vezes – não têm nada a ver com o seu. Terá de ser flexível para encontrar um denominador comum. Você perceberá como ficará muito mais fácil atuar em grupo a partir desta experiência.
  • Novo idioma: o pensamento global exige uma linguagem universal. E o inglês é o idioma que mais aproxima as pessoas. Entender novas expressões, as diferenças de sotaques e mesmo de palavras, se comunicar com nativos e estrangeiros dará a você segurança para conversas profissionais. Quem viaja bastante já sabe que o mundo é o quintal de casa e que cada vez mais dá para agregar isso ao trabalho.

E as dicas seguem:

  • Benchmarketing: a “cegueira momentânea” que atinge quem se acostuma ou se acomoda no seu dia a dia vai embora em uma viagem. Se isso já ocorre quando você visita a cidade vizinha, imagina em outro país 13 mil quilômetros distante. Andar pelas ruas é descobrir um novo mundo e encher a cabeça de ideias. Muitas das quais que podem ser aplicadas em novos negócios, aperfeiçoando a sugestão inicial para a nossa realidade. Atenção empreendedores, viajem! “Eu voltei com meu tablet recheado de anotações e planos”, comenta Ruas.
  • Networking internacional: é indiscutível a legião de amigos que você faz numa viagem, ainda mais quando você encara tudo isso sozinho. E com a ajuda das redes sociais, você não perde mais o contato com este povo todo. Perceba quem pode ser um parceiro profissional e já comente essa possibilidade pessoalmente. Se ambos tiverem o feeling para o negócio, novidades internacionais virão por aí.
Cidades como Toronto são ótimos locais pela diversidade e pela abertura que a comunidade local dá
Foto: Gerald Friedrich/Pixabay

Você já teve a chance de fazer um intercâmbio?  Para quais cidades e o que mais ele trouxe de bom para sua vida? Este conteúdo sobre o que saber sobre um intercâmbio ajudou você? Deixe nos comentários do Viajar é Vida.


Conteúdos Relacionados


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*