Como observar pássaros no próprio quintal

Pouca gente sabe, mas a observação de pássaros é uma modalidade de turismo muito difundida na Europa e Estados Unidos. Vem chegando ao Brasil e ganhando adeptos. Mas em tempos de isolamento social, como observar pássaros no próprio quintal? Um evento organizado pela Costa Verde & Mar, região turística que fica no Litoral de Santa Catarina, vai promover orientações e estimular como observar pássaros no próprio quintal. A prática propõe que os participantes façam a observação das espécies sem sair de casa e contará com a orientação on-line de especialistas na área.

O evento é inovador porque para garantir o distanciamento neste período acabou sendo pensado para funcionar de maneira on-line. Será neste próximo domingo, 19/4, e de graça aos interessados. Os organizadores pedem apenas que os interessados façam uma inscrição através do institutoalouatta@uol.com.br. A observação virtual, orientada por especialistas, será entre 7h30min e 11h30min.

“Como observar pássaros no próprio quintal”

Foto: Pixabay

Nesta edição, o evento sobre como observar pássaros no próprio quintal será focado em moradores de Balneário Piçarras, uma das 10 cidades que integram a região. Para participar basta ter acesso à internet, celular, câmera fotográfica ou aparelho para gravar os cantos dos pássaros. Durante a prática, especialistas irão dar dicas de quais são as espécies, como registar cada uma, quais seus hábitos e etc. Novas edições do evento devem ser realizadas em outras cidades da região ao longo do ano.

Promovido pela Costa Verde & Mar e o Instituto Alouatta, o evento integra a prática já consagrada no Roteiro de Ecoturismo da região turística. “Pela localização, Mata Atlântica preservada e proximidade com mar e interior, temos uma das regiões mais propícias para a observação de aves. Aqui, recebemos espécies variadas e até raras”, explica Paulo Renato Cadallora, do Instituto Alouatta.

Foto: Pixabay

Conheça algumas espécies de pássaros comuns de serem observados na Costa Verde & Mar

Gaturamo-verdadeiro: é uma ave passeriforme da família Fringillidae. Também conhecida pelos nomes de bonito-lindo, gaturamo-imitador, gaturamo-itê, guipara e gaipava (nomes atribuídos à fêmea em Santa Catarina). São aves sociais, que se alimentam basicamente de frutos.

Sabiá-amarelo: também chamado de sabiá-laranjeira é uma ave muito comum na América do Sul e o mais conhecido de todos os sabiás, identificado pela cor de ferrugem do ventre e por seu canto melodioso durante o período reprodutivo.

Sabiá-preto: também conhecido por sabiá-una, mede cerca de 20cm. A fêmea tem cor parda e a barriga acinzentada. O macho tem patas e bicos amarelos e é preto brilhante. Vive solitário ou em casal, em florestas úmidas de altitude.

Aracuã: com cerca de 45cm, tem tonalidade marrom e, nas fêmeas, manchas brancas no pescoço. Já o macho apresenta um “colar” branco-amarelado. Alimenta-se de frutos, sementes, insetos, brotos e folhas, alguns tipos de flores, e gramíneas.

Saracura-do-mato: é uma ave gruiforme da família Rallidae. Também conhecida como siricoia, saracura e saracura-do-brejo. Se distingue de outras saracuras, tendo a cor azul-acinzentada em seu ventre, bem como em sua cabeça e pescoço.

Saíra Militar: ou soldadinho ou verdelim no Brasil. Elas apresentam evidente faixa vermelho vivo ao redor do pescoço e coroa azul metálico no alto da cabeça. Esta ave se alimenta de insetos, pólen e pequenas frutas.

Cambacica: é um pássaro da família dos Coerebidae, sendo a única espécie do gênero Coereba. Tem larga distribuição nas Américas e também é conhecida popularmente no Brasil pelos nomes de sebinho, sebito e mariquita.

Foto: Pixabay

Onde surgiu a observação de pássaros como atividade

A observação de pássaros é internacionalmente conhecida como Bird Watching. Foi criada na Inglaterra e trata-se da observação de pássaros em geral, em seu habitat (que pode ser na floresta ou mata, mas também nas praças, parques e terrenos). Nesta atividade, aprende-se sobre ornitologia (que é o estudo das aves), e também sobre o local e ecossistemas.

Por meio de relatos históricos, é possível saber que antes do século 14, o interesse por história natural, em especial pelas aves, tinha se tornado popular na Inglaterra, chegando mais tarde aos Estados Unidos. Na Inglaterra, o interesse pela ornitologia tomou força no século 18, mas era uma atividade aristocrata, praticada por proprietários rurais em suas terras. Durante anos, observar aves era uma atividade solitária. Um livro que muito influenciou a atividade foi Natural History of Selborne, escrito e publicado em 1789 por Gilbert White, religioso de Hampshire, Inglaterra.

Foto: Domenic Hoffmann 

Como foi a chegada da observação de pássaros nos Estados Unidos e no Brasil

Nos Estados Unidos, a observação das aves ganhou força a partir de 1873, quando a Nuttall Ornithological Club – primeira organização norte-americana dedicada à observação e ao estudo de aves – foi criada em Boston por dois jovens ornitólogos: William Brewster e Henry Henshaw.

No Brasil, a história mostra que a chegada foi a partir de 1946, quando o cônsul americano foi enviado a Porto Alegre. Ele tinha como hobby justamente a observação dos pássaros. E foi a partir dele que as pessoas no Brasil passaram a entender como observar pássaros no próprio quintal. Ele quis ficar no país e escolheu Gramado (no Rio Grande do Sul) para fixar residência. De lá partiu em inúmeras expedições para os mais diversos rincões do estado do Rio Grande do Sul.

O que a atividade de observação de pássaros tem de tão especial

Os observadores consideram que poder conhecer de perto a variedade de formas, cores, cantos e comportamentos é algo sem preço. Os pássaros podem ser grandes ou pequenos, coloridos ou desbotados, barulhentos ou silenciosos, irrequietos ou calmos, podem andar, pular ou voar, têm bicos chatos ou finos, grandes ou pequenos, retos ou tortos, pés de pato, pés de galinha, garras de gavião, e por aí vai. São tão variados que os observadores não se cansam jamais de ficar horas observando e até se divertindo.

Com muita área verde, o Brasil é o segundo país com maior número de espécies de aves do mundo. Tem mais de 1.800 espécies cadastradas. E esta lista deve crescer já que, com os avanços dos estudos filogenéticos, a todo momento se elevam subespécies ao status de espécies. O aumento de estudiosos das aves também acrescenta anualmente novas espécies descobertas, especialmente na floresta amazônica, local ainda muito pouco conhecido. Com certeza em pouco tempo o Brasil deve passar a ocupar o primeiro lugar.

Foto: Gerhard Gellinger

7 dicas sobre como observar pássaros no próprio quintal

As dicas são do portal Ambiente Brasil.

Comece pelas aves que estão à sua volta

Aves estão em todos os lugares, basta tirar um tempo para ficar observando. Toda cidade, mesmo as menos verdes como grandes metrópoles, ainda mantém pássaros como joão-de-barro, urubu e bem-te-vi. Se tiver atento, vai descobrir outras espécies além destas.

Respeite a distância de conforto do animal

A relação ser humano x pássaro precisa ser construída e isso só vai acontecer se você não ser uma ameaça à espécie. Se ficar parado, imóvel e em silencia, a ave vai perceber que você não é um perigo e será mais fácil fazer a observação. Algumas aves são mais ariscas que outras e com o tempo você vai prender a distância de conforto de cada espécie.

Use roupas com cores discretas

O melhor é utilizar roupas com os tons mais comuns da natureza, como beges, marrons e verdes escuros. Evite cores chamativas porque isso pode aumentar a distância entre ele e você.

Binóculo deixa o passeio mais interessante

Com o binóculo é possível ver detalhes que seriam impossíveis de observar a olho nu. E os equipamentos pequenos são leves e práticos.

Foto: Pixabay

Guias de aves ajudam na identificação

Quando olhamos uma ave pela primeira vez percebemos a característica mais marcante. Como o peito amarelo por exemplo. Mas existem várias espécies que possuem o mesmo peito amarelo. Para identificar a espécie é necessário ficar atento para outras características que não são tão óbvias, e um guia de identificação de aves pode ajudar muito no passeio.

Ande devagar e em silêncio

Aves não gostam de barulho. É preciso andar devagar, com cuidado para não quebrar galhos. Se precisar se comunicar, fale baixo porque a conversa pode espantar os animais.

Cuidado onde pisa

Quando procuramos por aves olhamos constantemente para cima. Lembre-se de que existem buracos e você pode torcer o pé se cair em um deles. Também é importante o uso de perneiras para evitar acidentes com cobras no caso de ir para lugares de mata mais fechada.

Você já teve a oportunidade de uma experiência dessas? Qual a melhor sensação de estar lidando com a observação de pássaros? Conte para o Viajar é Vida.


Conteúdos Relacionados


Um comentário

  1. Pingback: panorama #18: COMO OBSERVAR PÁSSAROS NO QUINTAL de casa

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*