As cidades mais LGBTQIA+ do mundo

No mês do orgulho LGBTQIA+, o Viajar é Vida destaca as cidades mais LGBT do mundo. Com estas informações, você poderá organizar sua viagem para estes destinos abertos a todos os tipos de pessoas. A nossa lista trata de cidades no Brasil e no Exterior.

A começar por São Paulo, a cidade com a maior Parada LGBTQIA+ do mundo, chegando a 4 milhões de pessoas. Em 2021, em razão da pandemia, será um evento on-line tal qual já foi em 2020. No país que mais mata pessoas LGBTQIA+, o olhar do mundo para o Brasil neste período em razão do recorde conseguido pelo evento é muito importante. Este ano a realização será no dia 6 de junho, com o tema HIV/Aids.

A epidemia de HIV/Aids completa 40 anos de existência em 2021 e ainda continua infectando pessoas das mais variadas orientações sexuais. Segundo o Boletim Epidemiológico de 2019 do Ministério da Saúde, desde 2016, cerca de 40 mil pessoas são infectadas anualmente no país. “Não podemos ignorar que as pessoas continuam sendo infectadas pelo HIV por não terem acesso à informação adequada e métodos preventivos, assim como não podemos mais aceitar o preconceito e o estigma que sofre quem vive com o vírus”, dizem os organizadores do evento.

As cidades mais LGBTQIA+ do mundo
Foto: naeim a/Pixabay

Amsterdã entre as cidades mais LGBTQIA+ do mundo

Em 2001 a Holanda saiu na frente do restante do planeta e permitiu o que dois homens ou duas mulheres adotassem crianças. Também foi o primeiro do mundo a autorizar o casamento homossexual. Em 2013 passou a valer a possibilidade da troca de gênero por pessoas trans, mesmo sem a obrigatoriedade da cirurgia de redesignação sexual.

A capital, Amsterdã também é considerada como uma das mais abertas à comunidade LGBTQIA+. No Red Light District funciona até hoje o Café’t Mandje, um café aberto nos anos 1920 com foco no público gay. Saunas, boates, bares, restaurantes… há vários estabelecimentos com a temática, embora sejam abertos para o público em geral. Por aqui, a parada LGBTQIA+ ocorre geralmente no mês de agosto para celebrar as conquistas e tornar visível outras necessidades.

Amsterdã entre as cidades mais LGBTQIA+ do mundo
Foto: Kevin Christian/Pixabay

Leia também

A Espanha é muito a favor da diversidade

Na Espanha, Madri e Barcelona dividem a atenção para quem é LGBTQIA+. O país já aprovou o casamento por pessoas do mesmo sexo, incluindo os direitos de adoção, pensão e herança. O pacote veio completo. Em Madri, o Bairro Chueca concentra o maior número de pessoas da comunidade. Por isso, é grande também a quantidade de estabelecimentos voltados a este público. Já Barcelona possui o bairro L’Eixample (também apelidado carinhosamente de Gayxample), onde ficam os principais bares, restaurantes e lojas destinados ao público LGBT. Tem acesso facilitado, é bem localizado e possui muita estrutura. Ou seja, nada de gueto. Por aqui a Parada LGBTQIA+ é realizada em julho.

A Espanha é muito a favor da diversidade
Foto: Carabo Spain/Pixabay

Alemanha, França e Grécia têm seus points LGBTQIA+

Apesar da percepção que temos no Brasil sobre os alemães serem fechados e sisudos, Berlim é uma cidade cosmopolita e muito bem aberta à comunidade LGBTQIA+. Considerada uma das capitais mais gays de toda a Europa, possui muitos atrativos para este público e de maneira respeitosa mantém ainda museu e memorial ligado ao tema. A Parada LGBT de Berlim é realizada sempre em junho e teve sua primeira edição em 1979.

Quem diria que em 2001, ou seja, há 20 anos, Paris já estaria pronta para eleger um prefeito abertamente homossexual. Foi assim – com esta mente aberta – que Bertrand Delanoë comandou a cidade, que virou símbolo para turistas homossexuais.

As paisagens da Grécia, foram feitas para serem apreciadas por todos. Há relatos históricos que, no século 5, durante o período Clássico, havia muita liberdade cultural e sexual. A visão dos gregos sobre a homossexualidade era muito mais moderna do que a de muitas sociedades atuais. Mykonos e Atenas estão na lista dos destinos mais LGBTQIA+ do mundo.

Alemanha, França e Grécia têm seus points LGBTQIA+
Foto: Birgit Böllinger/Pixabay

As cidades mais LGBTQIA+ do mundo: Londres e Brighton, na Inglaterra

Londres e Brighton dividem também os olhares sobre serem as cidades mais LGBTQIA+ da Inglaterra. O país teria a maior comunidade gay e lésbica de todo o continente europeu: cerca de 15% da população se declaram LGBTs. Londres, com seu tamanho e identidade cosmopolita, é uma cidade segura para a comunidade. E uma pesquisa apontou que os moradores da cidade conhecem em média 8.5 homens gays e 3.6 mulheres lésbicas. A média é muito maior do que a de outras grandes capitais do mundo. Principalmente entre a população mais jovem, os preconceituosos são – ainda bem – em um número bem reduzido. Se quiser conhecer um pouco mais, vale conhecer o Guia Turístico LGBTQIA+ oficial.

No litoral sul está Brighton, que também é uma grande cidade e desde o século 19 levanta a bandeira da diversidade. Lord Byron, Oscar Wild e Dusty Springfield têm em comum o fato de que todos têm histórias pelas ruas da cidade. Caminhando por aqui, você logo identifica a bandeira do arco-íris na fachada das casas e dos estabelecimentos comerciais. Sempre hasteadas com muito orgulho.

As cidades mais LGBTQIA+ do mundo: Londres e Brighton, na Inglaterra
Foto: rihaij/Pixabay

Toronto convive em harmonia com todos

Aberta ao mundo, recepcionando diferentes povos e sem qualquer traço de preconceito, o Canadá é destino certo para quem deseja um turismo LGBTQIA+. Toronto, por exemplo, está na lista das cidades que mais respeitam a comunidade. Foi em 1967 que o então primeiro ministro Pierre Trudeau (pai do atual primeiro ministro Justin Trudeau) soltou a seguinte frase: “Não existe espaço para o Estado nos quartos da nação”. Ou seja, não é o governo que tem que interferir no que as pessoas fazem dentro de casa!

O pensamento ganhou força e em vez de atrapalhar, a população passou a entender e respeitar. Em diferentes locais o público LGBTQIA+ é lembrado, da saída do aeroporto até os locais públicos como parques. A bandeira do arco-íris é fortemente vista nas fachadas de lugares como o The Village, um dos bares onde há a maior concentração de pessoas que se enquadram na sigla. E aqui o casamento homossexual também é permitido.

Toronto convive em harmonia com todos
Foto: fsHH/Pixabay

Israel tem a moderníssima e a favor da diversidade Tel Aviv entre as cidades mais LGBTQIA+ do mundo

Além de ser um destino rico em história, a cidade oferece muitas atrações para o público LGBT. Como o famoso Quarteirão Gay, situado entre as avenidas Rotschild e a Allenby passando pela Rua Sheinkin. Na região existem vários bares, clubes e restaurantes gays muitos frequentados também por pessoas hétero.

Em meio à cultura mais fechada do Oriente Médio, Israel se sobressai no quesito tolerância. E a cidade de Tel Aviv focou neste público e tornou-se conhecida por isso. Hoje a Parada Gay de Israel está entre as maiores do mundo. O Tel Aviv Pride é uma série de eventos de uma semana realizados sempre na primeira quinzena de junho, como parte da observância internacional do Mês do Orgulho Gay e chega a reunir 250 mil pessoas.

Israel tem a moderníssima e a favor da diversidade Tel Aviv entre as cidades mais LGBTQIA+ do mundo
Foto: Mary Bettini Blank/Pixabay 

Nova York e Califórnia são estados muito abertos à causa LGBTQIA+

Os Estados Unidos viveram grandes momentos que marcaram a história para a comunidade LGBTQIA+. As rebeliões de Stonewall, em Nova York, que ocorreram no final dos anos 1960 mostram que desde esta época a comunidade luta pelos seus direitos. Uma luta que trouxe muita abertura. Hoje, bairros como o West Village, Chelsea e Hell’s Kitchen são diversificados e repletos de locais voltados ao público LGBTQIA+. A cidade também está cheia de pontos de referência como a Rua Christopher, boates, saunas, bares e os shows da Broadway.

Vale visitar o Arquivo Nacional ONE de Gays e Lésbicas em Los Angeles, na Califórnia. Harvey Milk foi o primeiro político assumidamente gay a ser eleito na Califórnia. Seu legado permanece em sua antiga residência em San Francisco, que hoje abriga o Human Rights Campaign Action Center (Centro de Campanha pelos Direitos Humanos) e uma loja.

Praticamente todas as cidades dos Estados Unidos realizam seus próprios eventos para demonstrar o orgulho gay, que geralmente incluem paradas multicoloridas, apresentações musicais e inúmeras festas. Os festivais do orgulho gay de Nova York, San Francisco e Chicago são realizadas no final de junho. O turismo LGBT decolou nos EUA com a legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo em 2015, quando redutos gays de praticamente todas as grandes cidades do país abriram-se para receber visitantes. O governo mantém inclusive um guia de viagem especializado.

Nova York e Califórnia são estados muito abertos à causa LGBTQIA+
Foto: PublicDomainPictures/Pixabay

Gostou deste conteúdo sobre as cidades mais LGBTQIA+ do mundo? Que outro local você conhece que vale a pena visitar sem precisar ter receio do preconceito? Deixe nos comentários do Viajar é Vida.


Conteúdos Relacionados


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*