Roteiro de viagem por Manaus

O desejo de ver de perto a floresta amazônica é claro, mas há outros motivos que os viajantes à capital do Amazonas. Neste roteiro de viagem por Manaus, o Viajar é Vida apresenta alguns dos maiores atrativos da região. Muitos viajantes passam por aqui todos anos, mas ainda 80% são estrangeiros. Os 20% do Brasil são pessoas que conseguem entender a beleza e importância da região para o restante do mundo. Os valores de passagens partindo de São Paulo ou Rio de Janeiro encarecem a viagem. Por isso, este número ainda tão reduzido. Mas há esperança e o Viajar é Vida quer dar aquele gostinho de viagem em você! Quem sabe Manaus e a Floresta Amazônica não entram no seu próximo planejamento? Preparados? Segue o roteiro de viagem por Manaus.

Este roteiro de viagem por Manaus abre no Teatro Amazonas

Um dos mais lindos teatros do mundo, o Teatro Amazonas é o maior símbolo cultural e arquitetônico de todo o Amazonas. Fica no Largo de São Sebastião, no Centro de Manaus, e contribui para manter viva uma parte da história ligada ao ciclo da borracha. A inauguração do prédio foi em 1896, mas somente em 1966 foi tombado como patrimônio histórico nacional.

A arquitetura presente é no estilo renascentista, porém com detalhes que mesclam outras escolas. A cúpula é composta por 36 mil peças nas cores da bandeira brasileira que foram trazidas da França.

A capacidade do salão de espetáculos é para 701 pessoas, distribuídas entre a plateia e três pavimentos de camarotes. Nas telas do incrível teto côncavo, o viajante tem acesso a quatro telas pintadas em Paris. Elas apresentam a arte por meio da música, da dança, da tragédia e da ópera. Segundo o site do Teatro Amazonas, o Pano de Boca do Teatro é outra raridade. Foi confeccionado em 1894, pelo artista brasileiro Crispim do Amaral, e descreve o encontro dos rios Negro e Solimões.

Foto: Sergio Biron Burgardt/Pixabay

O Mercado Municipal também integra o roteiro de viagem por Manaus

Todo viajante que se preze não abre mão de uma voltinha no Mercado Municipal das cidades por onde viaja. É ali em meio aos boxes que ele descobre maravilhas sobre o destino. O Mercado Municipal Adolpho Lisboa não ficaria de fora do nosso roteiro de viagem por Manaus. A estrutura fica às margens do Rio Negro, no Centro, e foi construída no auge do ciclo da borracha. Uma das grandes curiosidades é que a estrutura em ferro fundido foi projetada pelo engenheiro francês Gustave Eiffel, o mesmo que projetou e deu seu nome à famosa Torre Eiffel, em Paris.

Inaugurado em 1883, é, talvez, o principal local de venda de artigos da Amazônia. Quem circula por estes corredores conhece (e pode comprar) uma variedade de peixes de água doce, artesanatos, frutas, legumes e especiarias. O prédio é tombado pelo patrimônio histórico desde 1987.

Foto: Wikipedia

Natureza, natureza e mais natureza no Museu da Amazônia

Outro destino certo no roteiro de viagem por Manaus está o Museu da Amazônia, ou apenas Musa. O acervo deste museu são 5 quilômetros quadrados de floresta amazônica em plena área urbana. É o maior fragmento da floresta preservada dentro de uma cidade. Também chamado de Jardim Botânico, tem trilhas, lagos com vitórias-régias, e muito contato com a natureza local. Criado em 2000, é administrado por meio de uma parceria entre o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), a Prefeitura de Manaus e o Museu da Amazônia (Musa), com o objetivo de buscar alternativas para conter o avanço da ocupação desordenada e proteger as florestas da região. Um programa imperdível neste roteiro de viagem por Manaus.

Foto: divulgação

Museu do Seringal foi locação de filme que foi doada para guardar como acervo histórico

O ciclo da borracha colocou Manaus e todo o estado do Amazonas no mapa mundial. As transações econômicas geradas pelo látex garantiram o desenvolvimento da região e todo esse potencial ainda é relembrado no Museu do Seringal Vila Paraíso. Ele fica na área rural de Manaus, e reproduz com exatidão como era um seringal no final do século 19 e começo do século 20. Foi utilizado como locação de um filme de longa metragem do diretor português Leonel Vieira e todas as instalações foram mantidas e doadas para a prefeitura que abriu então o museu, inaugurado em 2002. Importante, o acesso só é possível por via fluvial, com barcos que circulam entre meia e meia hora.

Foto: Michael Dantas/divulgação

Praia da Ponta Negra tem estrutura e recebe muitos viajantes

As praias de rio são comuns em vários estados do Brasil. No Amazonas, é muito famosa a Praia da Ponta Negra, que fica às margens do Rio Negro e é uma praia totalmente urbana. O local mantém orla urbanizada, areia para curtir os dias de calor, quadras para prática de esporte e um anfiteatro, onde são realizadas apresentações culturais e de lazer ao longo do ano. As melhorias foram feitas nos anos de 1990, com a criação do complexo de lazer da Ponta Negra. São cerca de 2 quilômetros de orla.

Foto: divulgação

Comida típica atrai milhares de viajantes a Manaus

A gastronomia do amazonense é muito rica e é outro incentivo do roteiro de viagem por Manaus. Que tal uma costela de tambaqui? O peixe de água doce também é chamado de Pacu Vermelho e é um dos pescados mais utilizados na gastronomia local. Sua carne é branca, tenra e muito macia. Outra iguaria do Amazonas é a moqueca de pirarucu. Também peixe de água doce local, ele tem sabor suave e carne consistente. O cozido é feito principalmente em panela de barro.

Passeio na selva leva o viajante a conhecer fauna e flora da Amazônia

Claro, já que chegou a Manaus o visitante quer aproveitar para conhecer a selva! E fica aqui a porta de entrada para a maior floresta tropical do planeta. Existem diferentes empresas fazendo estes passeios guiados (sim, tem que ser com guia!) e você pode optar por um ou mais dias. Geralmente os passeios levam tempo mesmo, é necessário pegar um carro ainda de madrugada até pegar um barco que segue por um tempo, você desembarca, pega novo carro e novo barco!!!!

Mas é o típico momento de consagração da floresta e suas nuances. Flora e fauna reunidas e o contato próximo com botos, piranhas, jacarés e tudo mais que a Floresta Amazônica tem para oferecer.

Foto: Valmir Lima/Pixabay

O encontro das águas é outro espetáculo. Você consegue observar facilmente o contraste de cores. Rio Negro e Rio Solimões se diferem muito nos tons e suas águas não se misturam. Ao fazer um passeio de barco, você chega perto da “fronteira” e percebe a diferença entre ambos. Da densidade da água à temperatura dos dois rios (cuja diferença pode chegar a 8 graus). Vale muito este passeio.

A visitação a uma tribo indígena também está nas sugestões do roteiro de viagem por Manaus. A tribo Dessana Tukana possui cerca de 40 moradores que vivem em uma comunidade local às margens do Rio Negro onde é possível chegar apenas de barcos. Receber os viajantes é uma forma de garantir a sobrevivência (econômica e cultural). Nas visitas eles apresentam um pouco dos rituais, das danças e até da comida. Não se esqueça de comprar artesanato para ajudar ainda mais na manutenção da tribo.

Foto: Kátia Braga/Pixabay

Já pensou em encaixar a capital do Amazonas no seu planejamento de viagem? E este roteiro de viagem por Manaus deu água na boca? Se tiver novas dicas sobre aquela região, conte nos comentários do Viajar é Vida.


Conteúdos Relacionados


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*