O que fazer para viajar para San Andrés

A Colômbia é um destino muitas vezes esquecido por brasileiros que sonham em viagens para lugares longínquos, mas tem atrativos que têm sido descobertos, como as ilhas de seu mar de Caribe. O que fazer para viajar para San Andrés é a pergunta que fica por quem acabou descobrindo esse território tão próximo da gente.

Apesar de fazer fronteira com o Brasil, a Colômbia esconde verdadeiras joias raras em seu território. Além de Bogotá, Cartagena e Medellin, um dos maiores atrativos do país é a ilha caribenha San Andrés.

Santa Andrés está a 780 km do continente colombiano, no Mar do Caribe, e faz parte de um arquipélago juntamente com as ilhas vizinhas, Providencia e Santa Catalina. O arquipélago foi declarado Reserva da Biosfera da Unesco em 2000 por conter um ecossistema rico em biodiversidade marinha – com seus recifes de corais – e terrestre.

Aliás, a maior particularidade do local é a coloração do mar. De acordo com várias descrições de turistas, o oceano de San Andrés parece possuir sete cores, principalmente perto da costa. Esse fenômeno ocorre em razão das diferentes profundidades do mar na localidade, dando um aspecto de quadro contemporâneo com seus tons de verde e azul.

O Viajar é Vida dedicou esse post inteiramente para você se preparar para você viajar e relaxar nesse verdadeiro resort natural. Pegue o caderno e anote as dicas sobre o que fazer para viajar para San Andrés.

Foto: Joakim Roubert

É preciso passaporte para visitar San Andrés?

A burocracia para visitar a ilha paradisíaca é quase nula, já que – como parte do território colombiano é associado do Mercosul – isenta nós, brasileiros, de apresentar um passaporte. O único documento necessário em sua viagem, portanto, é o RG com uma foto identificável, além de um Certificado Internacional de Vacinação para comprovar a imunização do turista (principalmente da febre amarela).

A exceção para essa regra, entretanto, são conexões vindas do Panamá. Nesse caso, consulte sua companhia aérea para se informar sobre a necessidade de documentos como o passaporte.

Foto: Pixabay

O que fazer para viajar para San Andrés: chegando à ilha dos sonhos

O único aeroporto da ilha de San Andrés é o Aeropuerto Internacional Gustavo Rojas Pinilla, localizado no norte do território. Para entrar oficialmente na ilha, porém, você deve apresentar o cartão de turismo, obtidos através das próprias companhias aéreas, custando em torno de 48.000 pesos colombianos (R$ 63,09). Atenção: não se esqueça de guardar o documento, já que ele é requerido tanto na entrada como na saída do arquipélago.

A moeda utilizada em San Andrés é o peso colombiano, que atualmente vale R$ 0,0013 (câmbio de 7 abril de 2020). Apesar disso, a maioria dos estabelecimentos da ilha aceitam cartões de crédito e dólar como pagamento.

Foto: Wikipedia

Como arrumar as malas para a viagem

Apesar de o clima ser agradável durante todo o ano, a melhor época para se visitar San Andrés é entre janeiro e maio, quando há estiagem. Deve-se evitar os meses de setembro e novembro por esse mesmo motivo, quando a temporada de chuva atrapalha o aproveitamento dos turistas nas praias e trilhas da ilha. Além disso, tempestades tropicais e até mesmo furacões são comuns no território, então atente-se as previsões do tempo e previna-se de qualquer catástrofe.

Quanto ao preparo de malas, fique esperto: é recomendado trazer calçados e máscaras para mergulho a fim de apreciar os belos corais da região sem pagar preços exorbitantes com os aluguéis dos equipamentos. Não deixe de levar roupas leves e muito protetor solar para se proteger contra a exposição solar.

As tomadas são outro assunto importante, já que o país possui um padrão diferente do brasileiro. Ao invés dos três pinos redondos daqui, espere hotéis com tomadas de dois pinos chatos e um pino redondo. Para evitar problemas ao recarregar os eletrônicos, leve consigo um adaptador internacional que cumpra esses requisitos.

Foto: Darren Lawrence

Cheguei na ilha: o que fazer em San Andrés?

San Andrés é um paraíso de belezas naturais exuberantes. As praias Rocky Cay e Spratt Bight demonstram bastante dessas qualidades. Enquanto a primeira propõe um descanso tranquilo a sua viagem, a segunda oferece atividades como kitesurf, lojas e restaurantes para enriquecer sua experiência.

E, por falar em restaurantes, a gastronomia do arquipélago é conhecido por suas especiarias marinhas. Prove essas delícias em um dos restaurantes que se especializam nos frutos do mar como PeruWork ou La Ragatta.

Continue seu passeio pela Ilha Johnny Cay, onde você pode conferir a fauna e a flora marinhas por aproximadamente 33.000 pesos colombianos (R$ 39,86). Ela é uma das atrações mais belas de San Andrés e não pode ficar de fora de seu cronograma.

Poucos lugares em San Andrés são tão especiais como La Cueva de Morgan. A caverna gira em torno de lendas e histórias do folclore da ilha, que tornam a visita ainda mais mágica. Em seu museu, é possível adquirir artesanatos tradicionais da ilha. É um ponto não muito conhecido, por isso, você conseguirá aproveitar as cavernas tranquilamente.

Se você é um apreciador da vida marinha e quer se maravilhar com as espécies encontradas em San Andrés, não deixe de mergulhar em La Piscinita e West View. Sem dúvida é uma das atividades mais procuradas durante a estadia na ilha e não sem razão: as águas claras e corais abundantes oferecem uma ótima visibilidade da vida marinha, além de uma temperatura super agradável para admirar as raias, peixes e outros.

Foto: Pixabay

E aí, se animou para partir em viagem a San Andrés? Percebeu tudo o que fazer para viajar para San Andrés? Não se esqueça de comentar com o Viajar é Vida qual é o ponto turístico que mais te agradou nos comentários. .


Conteúdos Relacionados


6 comentários

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*