Como as rodas gigantes se tornaram atrativos de viagem

Elas já existem há 127 anos, mas estão cada vez mais na moda! Como as rodas gigantes se tornaram atrativos de viagem? Bom, antes é bacana explicar o que elas são. Uma roda gigante é uma obra de engenharia. Consiste em uma grande roda metálica vertical giratória que possui componentes de transporte de pessoas. Podem ser cadeiras, cápsulas, gôndolas… o que importa é que mesmo presas ao aro principal elas se mantêm na vertical durante o movimento e isso ocorre geralmente devido à gravidade.

As rodas gigantes mais modernas possuem carros com motores elétricos que asseguram um movimento independente do eixo principal. Agora sim a gente responde como as rodas gigantes se tornaram atrativos de viagem. Elas viraram atração turísticas ao redor do mundo porque dão a possibilidade de uma visão panorâmica das cidades, com aquele friozinho gostoso na barriga.

Roda gigante de Barcelona – Foto: Zsuzsanna Tóth

Um estudo norte-americano aponta que as rodas-gigantes são vendidas ao mercado como rodas de observação ou roda-gigante mesmo (na expressão literal), embora alguns operadores não desejem nominar como este segundo nome. Eles evitam a palavra roda-gigante mesmo que o equipamento adquirido siga o modelo original de 1893, especialmente em termos de escala e ser um marco icônico para uma cidade ou evento.

Roda gigante de Chicago – Foto: Quinn Kampschroer

No mercado turístico, as rodas gigantes com cápsulas para mais pessoas estão em alta

Como as rodas gigantes se tornaram atrativos de viagem? As rodas gigantes coletivas se tornaram importantes incentivadoras do turismo de diferentes cidades pelo mundo. Elas acomodam mais pessoas e servem principalmente para mostrar as cidades por outro ângulo.

Em Cingapura, a Singapore Flyer é a tal da roda gigante de observação com sua altura equivalente a um prédio de 42 andares. São 165 metros de altura no total, com 28 cápsulas climatizadas. Em cada uma delas é possível acomodar até 28 pessoas. No trajeto para completar a rotação inteira, os visitantes levam cerca de meia hora.

Roda gigante de Cingapura – Foto: Jason Goh

Em Londres, a London Eye também é chamada de Millennium Wheel (Roda do Milênio) já que foi inaugurada na virada do milênio. Acredite você que ela compete de igual para igual com tantos outros pontos turísticos da Inglaterra.

London Eye – Foto: Pixabay

A maior delas até agora, a High Roller é uma roda gigante de 167 metros de altura e 158,5 metros de diâmetro que fica em Las Vegas. A cidade dos letreiros de neon, das cores e das festas abriu sua roda gigante ao público em 31 de março de 2014.

Roda gigante de Las Vegas, a High Roller – Foto: Mister Farmer

Já na Austrália, a Melbourne Star encanta pelos 30 minutos de passeio nas cabines com áudio. O viajante chega a 120 metros de altura e, antes mesmo de embarcar, se identifica com os sete raios formando a estrela de sete pontas da bandeira australiana.

Roda gigante de Melbourne – Foto: divulgação

Como as rodas gigantes se tornaram atrativos de viagem”

Nem toda roda gigante tem o mesmo formato de funcionamento

Mas quem disse que uma roda-gigante precisa ser sempre convencional? Esta chamada de Mega Tornado, mantém as cabines fixas e o visitante fica de cabeça para baixo quando passa pela parte mais alta do círculo giratório. Na parada para entrada e saída de novos usuários, há o risco (ou a chance) de ficar alguns intermináveis segundos virado com a cabeça para o chão. Já esta outra roda-gigante de um parque italiano tem formato de roda de carroça e as cabines com visual cênico parecendo as carroças do velho Oeste.

Roda gigante do Velho Oeste – Foto: divulgação
Roda gigante invertida – Foto: divulgação

A primeira roda-gigante do mundo foi montada em Chicago, nos Estados Unidos, em 1893. Foi um projeto do engenheiro e construtor de pontes de Pittsburgh, George Washington Gale Ferris Jr. Ele apresentou a primeira roda gigante do mundo na Exposição Colombiana Mundial realizada em Chicago em 1893. O nome estava ligado aos 400 anos de descoberta da América por Cristóvão Colombo.

Imagina como o público ficou eufórico com a novidade. Eram 76 metros de altura, algo como um prédio de 26 andares. Foram mais de um milhão de usuários pagantes durante as 19 semanas de operação. Já deu para entender como as rodas gigantes se tornaram atrativos de viagem, né?

Linha do tempo das maiores rodas-gigantes do mundo

London Eye – Foto: Michael Siebert
  • 1893: a roda-gigante original tinha 80 metros de altura.
  • 1895: a Grande Roda foi construída para a Exposição do Império da Índia, em Earls Court, em Londres. Tinha 94 metros.
  • 1900: o Grande Roue de Paris foi construído para a Exposition Universelle, uma feira mundial.
  • 1920: a Wiener Riesenrad foi construída para celebrar o Jubileu de Ouro do imperador Franz Josef I, na entrada do parque de diversões de Viena , na Áustria.
  • 1985: Technocosmos, mais tarde renomeado como Technostar, era uma roda-gigante de 85 metros, originalmente construída para a Feira Mundial Expo ’85 em Tsukuba, no Japão.
  • 1989: Cosmo Clock 21 foi construído em Yokohama e tinha 107,5 metros de altura.
  • 1992: Igosu 108 entrou na competição japonesa de maiores rodas-gigantes. Tinha 108 metros de altura e depois foi transferida para o Vietnã.
  • 2000: London Eye, em Londres tem 135 metros e funciona com cápsulas.
  • 2006: Estrela de Nanchang, na China , foi inaugurada em maio e tem 160 metros de altura.
  • 2008: a Singapore Flyer, em Cingapura, chega a 165 metros de altura.
  • 2014: a High Roller, em Las Vegas, tem 167,6 metros. Continua sendo a maior do mundo!
  • 2016: Navy Pier Ferris Wheel é aberta em Chicago com foco em durar gerações.
  • 2019: RioStar, no Rio de Janeiro, chama a atenção, apesar de ter “apenas” 88 metros
  • 2020: Previsão de inauguração da Dubai Eye com seus 210 metros de altura (uauuuuu)!
Roda gigante de Tianjin – Foto: Chikai Du

Se você já visitou alguma das rodas gigantes citadas neste post envie uma foto para o Viajar é Vida. E o que você achou? Deu para entender como as rodas gigantes se tornaram atrativos de viagem?

Roda gigante de Viena – Foto: Mimi Kama

Conteúdos Relacionados


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*