O que fazer em Bento Gonçalves

Cidade localizada no Rio Grande do Sul, Bento Gonçalves é o 18º município mais populoso do estado e sua economia se baseia na produção de uva e vinho, no turismo e no setor moveleiro. Com esses requisitos, o Viajar é Vida destaca neste post o que fazer em Bento Gonçalves.

Importante destacar a colonização italiana para entender porque atualmente a cidade tem as características que possui. A partir de 1875 um grupo de imigrantes desembarcou por aqui e fixou-se principalmente na região da Serra Gaúcha, até pela questão geográfica e climática que em muito lembrava a terra natal.

Com eles vieram os costumes e tradições, da produção de vinho à produção moveleira e toda essa atração estimulou o turismo que hoje é também uma das fortes bases da economia. Prontos para viajar?  Vamos então saber o que fazer em Bento Gonçalves.

O que fazer em Bento Gonçalves: há dezenas de atrativos
Foto: Divulgação

Trem do vinho faz um percurso com uma Maria Fumaça

O passeio de Maria Fumaça em Bento Gonçalves se tornou um dos mais famosos do Brasil. O trajeto é feito da estação da cidade com degustação de vinho e embarque no ritmo dos imigrantes italianos. De lá, são 23 quilômetros de distância e cerca de duas horas de duração onde é realizada uma verdadeira festa interna, com atrações e músicas típicas italianas e gaúchas.

A chegada ocorre na cidade de Garibaldi, onde mais uma vez os viajantes são recebidos com degustação de espumantes e suco de uva. Dali, depois deste prazeroso momento de integração, nova partida, agora rumo a Carlos Barbosa, onde os turistas são recepcionados com um show de música italiana. É possível ficar em Carlos Barbosa ou fazer o retorno. Isso é preciso definir na hora da compra dos pacotes, que sempre são vendidos antecipadamente.

A Maria Fumaça faz o passeio que vai de Bento Gonçalves a Carlos Barbosa
Foto: Divulgação

O que fazer em Bento Gonçalves: parque temático Epopeia Italiana

Nas imediações da estação da Maria Fumaça em Bento Gonçalves fica a estrutura do Parque Cultural Epopeia Italiana. Em um local de 2 mil metros quadrados é apresentada a história dos imigrantes Lázaro e Rosa para ilustrar um trecho da bela história que deu origem à cidade. no São nove cenários criados exclusivamente para o espetáculo.

Aventuras em meio à natureza na lista sobre o que fazer em Bento Gonçalves

Se a intenção for ter uma boa dose de adrenalina, Bento Gonçalves tem histórico junto à natureza. No Parque de Aventuras Gasper, por exemplo, o viajante não tem limite para a diversão. Entre as atividades estão tirolesa, arvorismo, rapel com escalada em via ferrata, paintball, trilha de quadriciclo e bungee jump.

Além do bungee jump em uma plaforma fixada em 150 metros de altura, com queda livre que pode chegar a 60 metros, há ainda uma divertida trilha de quadriciclo no meio dos parreirais. A diversão e a adrenalina são garantidas.

Na lista do que fazer em Bento Gonçalves estão as aventuras do Parque Gasper
Foto: Divulgação

Passeio a vinícolas e chafariz de vinho

Bento Gonçalves é a capital brasileira do vinho e aqui estão marcas conceituadas no segmento como Vinícola Aurora, Miolo, Casa Valduga e Vinícola Salton. Além dos grandes, há os menores, totalizando cerca de 70 diferentes produtores em todo o município.

O Vale dos Vinhedos, rota mais visitada no município, recebe anualmente cerca de 410 mil visitantes, sendo considerado o principal destino enoturístico do Brasil. Além de visitar as vinícolas, o viajante pode conhecer de perto os parreirais. E experimentar a vida no campo verdejante. Outra possibilidade é aliar a harmonização do vinho com a gastronomia. Serão momentos de lazer e diversão, aproveitando o sabor da Serra Gaúcha.

Por ser a capital do vinho, não poderia ser diferente na La Fontana, o chafariz localizado na região central de Bento Gonçalves. A instalação foi em 1990 e uma nova atração foi colocada no local da antiga em 2012. Embora vermelho como vinho tinto, aquele líquido é água com corante.

Está localizada em frente ao Palácio Municipal, onde funciona a prefeitura. A construção foi feita com retalhos de pedras, imitando as taipas construídas pelos imigrantes italianos que colonizaram a região. As taipas eram muros formados por empilhamento das pedras encontradas nas terras ocupadas pelos colonizadores. A ideia do chafariz do vinho é citada até mesmo em um poema de Maria Borges Frota em 1967.

Curtir os vinhedos e degustar vinhos estão entre os atrativos da cidade gaúcha
Foto: Bruno Moraes/Pixabay

Caminho de Pedra relembra os imigrantes e integra o que fazer em Bento Gonçalves

Além do Vale dos Vinhedos, outro destino procurado pelos viajantes é o Caminhos de Pedra. São pelo menos 95 mil visitantes todos os anos que vão em busca de conhecer as casas históricas, construídas durante a colonização italiana. Ao longo dos tempos elas foram restauradas e abertas ao público para visitação.

tratando-se de propriedades particulares de descendentes de imigrantes, com atendimento realizado geralmente pela família dos proprietários, onde há demonstração e/ou degustação e explicação local.

O passeio pode levar até um dia para visitação completa. São empreendimentos ou casas particulares aberta para visitação, algumas com cobrança de ingressos. Ideal é estar com um guia local para entender sobre a histórica e observar os detalhes por trás de cada parede. Desde 1987 este é um passeio organizado e vendido como produto turístico. E claro não poderia falta nesta lista sobre o que fazer em Bento Gonçalves.

Na rota dos imigrantes o visitante pode conhecer a origem da cidade de Bento Gonçalves
Foto: Divulgação

Monumentos religiosos chamam a atenção dos viajantes

Construída no estilo arquitetônico gótico moderno, a Igreja Cristo Rei foi inaugurada em 1954, depois de cinco anos de obras e uma inauguração sem estar 100% concluída. As torres foram concluídas apenas em 1978. A arquitetura é realmente muito interessante e o prédio possui um vão de 40 metros de altura e três altares. As janelas são vitrais com ornamentos de brocados.

Na mesma dos monumentos religiosos, a Igreja São Bento chama a atenção também pela sua arquitetura já mais moderna e diferente. Ela tem formato de tina (aqueles vasilhames para guardar vinho) e foi erguida em concreto, com inauguração em 1984. O santo que nomeia a igreja é o protetor dos produtores de vinho e a decoração interna, além de motivos sacros, utiliza elementos temáticos da uva e do vinho.

São 13,5m de altura e 22,5m de diâmetro com 64 colunas de concreto que sustentam a estrutura. As quatro portas representam um barril e os bancos trazem gravada a simbologia da uva. O espaço pode receber até mil fiéis ao mesmo tempo.

Museu do Imigrante é outra forma de entender o dia a dia da cidade

Com visitação gratuita, o Museu do Imigrante é mais uma coisa na lista sobre o que fazer em Bento Gonçalvez. Fica na Rua Herny Hugo Dreher, 127, no Bairro Planalto e está aberto sempre entre terça e sábado, das 8h30min às 11h30min, e das 13h30min às 17h30min.

Foi fundado em 1974, num prédio antigo datado de 1913. São quase 10 mil itens no acervo para contar a história da cidade. São peças principalmente doadas pela comunidade, todas dispostas em dois andares e sete salas temáticas divididas em Sala de Gaitas, Arte Sacra, Objetos Pessoais e Ofícios, Quarto de Dormir, Cozinha, Trabalho e Vinho.

Entre o que fazer em Bento Gonçalves está conhecer o Museu do Imigrante
Foto: Divulgação

O que achou deste post sobre o que fazer em Bento Gonçalves? Claro que há ainda outros atrativos, mas o Viajar é Vida também quer a sua colaboração e opinião.Deixe nos comentários.


Conteúdos Relacionados


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*