Como o carnaval é comemorado nos outros países?

O carnaval é uma festa cristã, celebrada no período que antecede a Quaresma, aqueles 40 dias em que é necessário estar mais em sintonia consigo mesmo. Por isso, o Viajar é Vida desvenda como o carnaval é comemorado nos outros países.  A celebração em si ocorre em muitos países católicos, por exemplo, mas apenas em alguns a festa tem manifestações artísticas e culturais como reflexo de um período em que a atividade tinha uma relação ainda mais arraigada com a religião. Hoje, muita gente viaja no carnaval de olho em conhecer as novidades nestes países em que mantêm viva a tradição. Então, a pergunta que o Viajar é Vida responde agora é: Como o carnaval é comemorado nos outros países?

Estados Unidos realiza o Mardi Gras, carnaval de Nova Orleans

Em território americano, o carnaval dura apenas um dia, que é a Terça-Feira Gorda, ou Mardi Gras nome original da colonização europeia nos séculos 17 e 18. O carnaval nos Estados Unidos leva pelo menos 50 agremiações para as ruas. No alto das sacadas dos prédios, outra multidão acompanha a movimentação na parte de baixo. Com fantasias (algumas até bem ousadas), os  foliões e visitantes vão recebendo colares de miçanga por onde passam.

Conhecido por suas máscaras de gesso, colares de conchas e festas com bandinhas ao vivo durante todo o fevereiro (seria o que chamamos no Brasil de pré-carnaval) é na “terça-feira gorda” que ele se encerra . Já são 302 anos de programação de carnaval em Nova Orleans na terça-feira antes da Quarta de Cinzas.

Foto: Divulgação

Carnaval no Reino Unido é o período pré-Quaresma

Na mesma pegada da festa religiosa antes de um período de introspecção, o Reino Unido realiza o Shrovetide (do verbo shrive  que significa confissão) que é o equivalente ao nosso carnaval, mas lá na Europa. Em português, o nome poderia ser traduzido como entrudo, ou Estação Pré-Quaresmal.

Como em Nova Orleans, é na terça-feira gorda que muitos cristãos tradicionais, como anglicanos, luteranos, metodistas e católicos fazem um ponto especial de autoexame, considerando os erros que precisam para se arrepender e com quais alterações da vida ou áreas de crescimento espiritual elas precisam especialmente pedir a ajuda de Deus para lidar com isso . Por lá, o mais famoso é o de Notting Hill, que surgiu em 1964. Foi uma forma de as comunidades afro-caribenhas celebrarem a cultura e tradição.

Foto: Divulgação

“Como o carnaval é comemorado nos outros países?”

Carnaval na Alemanha tem até carro alegórico

Se você pensa que somente no Brasil o carnaval tem carro alegórico, está redondamente enganado. Na Alemanha a tradição é muito parecida com o Brasil. A diferença está nas fantasias já que por lá o carnaval é realizado no inverno. Dos grandes centros urbanos à Floresta Negra e até nos Alpes, a festa invade o território alemão. Cidades como Düsseldorf, Bonn, Aachen e Mainz, mantém o cronograma festivo. Mas é em Colônia que o negócio ferve. Milhares de visitantes se reúnem todos os anos de quinta até a quarta-feira de cinzas.

Na quinta é o carnaval das mulheres que, apesar do nome, vale para todos. O grande dia, no entanto é na segunda-feira, com os carros alegóricos desfilando pelas principais ruas da cidade. Tal qual no Brasil, eles trazem temas em voga e fazem sátiras políticas. O carnaval é uma forte manifestação cultural que promove a democracia na Alemanha.

Foto: Gaertringen

Máscaras do carnaval de Veneza eram disfarces da nobreza

Por muito tempo o carnaval de Veneza, na Itália, foi um dos mais populares e alegres do mundo. Era nesta época que a cidade recebida os visitantes interessados em se divertir nos bailes dos clubes e mesmo nas festas gratuitas pelas ruas e praças. Mas perdeu força. A história do surgimento foi no século 16, quando a nobreza se disfarçava para poder se misturar aos outros foliões. Foi nesta época que as máscaras se popularizaram.

Os trajes utilizados até os dias atuais são similares aos daquela época: máscaras nobres, caretas brancas com roupa de seda negra e chapéu de três pontas. Desde 1979 foram sendo somadas outras cores aos trajes, embora as máscaras continuem a ser brancas, prateadas e douradas. No Brasil, o carnaval de Veneza tem festa parecida em Nova Veneza (SC) e Nova Veneza (GO).

Foto: Ingeborg Gaertner-Grein

Nas Ilhas Canárias, o carnaval chegou a ser proibido durante a ditadura

O clima de carnaval é quente nas Ilhas Canárias. Em Tenerife, que mantém festas de outros tipos ao longo do ano, acaba tendo no carnaval sua pepita dourada. São 15 dias de festa colorida, animada, muito luxo (como no Brasil, há fantasias brilhosas, luxuosas e caras) e a escolha de rainha e rei da festa. O carnaval em Tenerife tem também marchinhas que fazem deboche ou protestos e até bebedeiras homéricas.

São milhares de pessoas que se concentram para a festa. Por conta do carnaval, as Ilhas Canárias tiveram um incremento no turismo local. E desde 1980, a festividade mantém o título de Festa de Interesse Turístico Internacional.

Por lá, o carnaval é celebrado desde os primeiros assentamentos europeus, lá pelo século 18. Mesmo durante a ditadura, em que os carnavais foram proibidos na Espanha, em Tenerife ele se manteve mesmo às margens. A população contrária à falta de democracia dava um jeito de se reunir e aproveitar os momentos de “contravenção”.

Foto: Divulgação

Carnaval na Bolívia tem procissão em celebração do triunfo do bem contra o mal

Quem diria que a Bolívia também tem sua representação no carnaval. Como o carnaval é comemorado nos outros países, na América do Sul ele também tem força. Já foi uma celebração indígena, hoje evoluiu para uma festividade com uma forte conexão com o simbolismo religioso. São homenagens à Mãe Terra e ao Deus do Submundo e há a chamada dança dos demônios, que é uma representação da vitória do bem sobre o mal.

Vale destacar também o Carnaval de Oruro como um dos grandes nomes do carnaval na Bolívia. Ao longo do período participam cerca de 50 conjuntos folclóricos que realizam uma peregrinação ao Santuário de Socavón no sábado de carnaval. São cerca de 4km de percurso. A Unesco concedeu ao Carnaval de Oruro como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.

Foto: Divulgação

No Peru, o famoso carnaval de Cuzco tem festival gastronômico na programação

Nos dias que antecedem a Quaresma, o Peru realiza a celebração de adeus à carne. Cuzco é a cidade com maior representação no carnaval peruano. Desde os incas, eram celebradas as cerimônias para Pachamama, uma forma de pedir ajuda à “fertilidade” já que fevereiro geralmente é um mês chuvoso e bom para a agricultura. Com a chegada dos espanhóis, as duas culturas se combinaram criando o que hoje conhecemos como Carnaval.

O Carnaval nos Andes começa duas quintas-feiras antes do domingo de carnaval oficial. É o dia dos compadres (valem os de batizado, de primeira comunhão ou crisma), para fortalecer o vínculo pela escolha da parceria. Na quinta-feira seguinte é o dia das madrinhas, pelo mesmo motivo. E no período de carnaval, Cuzco realiza um desfile no centro da cidade, acompanhado do festival gastronômico carnavalesco que tem como principal protagonista o T’impu ou Pucher, pratos feitos com carne de cordeiro, batata, cenoura, pêssego, arroz e milho.

Foto: Robert Luna

Como o carnaval é comemorado nos outros países? Descobriu? Se tiver algum outro país que tenha curiosidade, manda uma mensagem que o Viajar é Vida vai atrás.


Conteúdos Relacionados


Um comentário

  1. Pingback: conheça agora cinco destinos para relaxar pelo mundo

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*