Como evitar perrengues de viagem em cidades grandes?

Chegar ao México foi um momento muito esperado em nossa viagem. É um país incrível e já estamos há mais de dois meses percorrendo as cidades aqui. A cada novo local a cultura se apresenta mais forte e de formas distintas. 

Como evitar perrengues de viagem em cidades grandes?”

Passamos quase 40 dias pela capital, a Cidade do México, que além de ter a maior população do país, tem uma das áreas metropolitanas mais populosas do mundo!

Como toda cidade grande, requer uma atenção um pouco maior para evitar perrengues que possam comprometer sua viagem. Nós relaxamos e demos bobeira em muitos cuidados, o que acabou nos custando algumas dores de cabeça, literalmente. 

O lado bom é que agora estamos bem e tudo isso virou história para compartilhar com vocês! Aproveitem dos nossos erros para redobrar a atenção e salvar suas viagens dos mesmos perrengues que tivemos!   

O que vamos relatar não ocorre apenas no México! São situações diversas que podem ocorrer no mundo inteiro, principalmente nas cidades grandes e só aconteceu com a gente porque nos descuidamos. Então, por favor, não vamos etiquetar o México com esses acontecimentos, combinado? 

Instagram: @blogdestinomundo

Como evitar perrengues de viagem em cidades grandes? Bed bugs!

Esse danado merece o número 1 no ranking de perrengues da nossa viagem. Até pouco tempo atrás nunca tínhamos nem ouvido falar disso. E se você também não sabe sobre vou tentar resumir: são percevejos de cama, um tipo de inseto que se alimenta de sangue humano, geralmente à noite. São conhecidos por serem uma praga de viajantes, pois quando alguém passa por um local infestado, eles podem facilmente entrar na bagagem e, sem saber, a pessoa pode carregar para outros locais. E aí está feito o problema.

Eles não transmitem doenças, porém a picada é muito incômoda por conta da coceira, que pode levar minutos ou dias até se manifestar. Eles normalmente são maiores que uma pulga e tem a forma achatada. Então, não são invisíveis como muitos pensam. O o maior problema é que gostam de locais escuros e normalmente se escondem nos colchões, frestas de rodapé, cortinas, atrás das divisórias de papel de parede.

Mas você deve estar se perguntando como descobrimos isso? Pois bem, estávamos em um AirBnb quando certo dia amanhecemos cheios de picadas. Parecem picadas de pernilongo e coçam muito. Contamos e havia mais de 30 marcas nas pernas e braços do Rafa. Eu tinha apenas nos braços e eram muitas também.

Instagram: @blogdestinomundo

Não entendemos na hora, até que ao acender a luz vi um caminhando na parede ao lado da cabeceira da cama. Não fazia ideia do que era, mas era um inseto. Tirei uma foto e na mesma hora chamamos o responsável pelo AirBnb. Eles vieram correndo e prometeram dedetizar o quarto.

Pediram que saíssemos e guardássemos as nossas coisas. Fizemos tudo que pediram e pensamos que estaria tudo resolvido, porém o problema voltou a ocorrer. Então arrumamos nossas coisas e saímos antes do fim da nossa reserva que era de um mês. Entramos em contato com o suporte do AirBnb, explicamos a situação e eles cancelaram os dias restantes da reserva, nos reembolsando inclusive 50% do valor dos dias em que ficamos hospedados quando o problema ocorreu.

Nos orientaram a lavar toda a nossa mochila e secar em alta temperatura na lavanderia, pois apenas o calor elimina uma possível infestação e mata os ovos, pois eles se reproduzem muito rápido. Fizeram o reembolso disso também. O atendimento foi super rápido e eficiente.

Nossa maior dificuldade foi encontrar uma lavanderia que fizesse o serviço na hora, pois não teríamos como deixar nossas coisas para buscar no outro dia, já que precisávamos delas limpas e esterilizadas antes de entrar na outra acomodação. No final deu tudo certo, mas foi bem estressante toda essa situação. 

Dica especial sobre como evitar perrengues de viagem em cidades grandes

Assim que chegar em uma acomodação, seja hotel 5 estrelas ou albergue, revise todo o colchão, nas bordas, laterais, travesseiros, e atente para qualquer pontinhos escuros que encontrar, sejam manchas ou bichinhos que nunca viu. Se tiver algo assim chame imediatamente o responsável e jamais coloque suas malas ou mochilas sobre a cama. Fuja de lá o mais depressa que conseguir, mas por favor comunique o responsável para que tome as medidas necessárias, se não ele nunca vai saber e mais viajantes podem ter e espalhar esse problema. Pesquise nos reviews da internet antes de fazer a reserva, existe até sites que mapeiam os locais que já foram contaminados, para que você possa evitar. 

Instagram: @blogdestinomundo

Faringite entra na lista, e aí, como evitar perrengues de viagem em cidades grandes?

Clima seco, poluição e altitude somados a minha imunidade baixa por conta do problema anterior, resultaram em uma semana de cama com uma faringite bem desagradável. Febre, dor de garganta e sem voz foi a primeira vez em 8 meses que precisei de medicamentos. Por sorte já tínhamos previsto isso e levamos o remédio e a receita. Se em 5 dias o remédio não fizesse efeito, iria acionar nosso seguro saúde. 

Dica: Sempre tenha com você os remédios mais importantes que costuma tomar, junto da receita médica, pois apesar de existirem farmácias no mundo todo, nem sempre os medicamentos são os mesmos, e algumas substâncias como a Dipirona são inclusive proibidas. Você pode levar na viagem, desde que tenha a prescrição médica. 

A lista não para e nem sempre dá para prever. Como evitar perrengues de viagem em cidades grandes?

Combo: Salmonelose e Infecção intestinal 

Depois de viajar pelo Canadá e Estados Unidos chegamos aqui cantando Viva México quando nos deparamos com um câmbio favorável ao real onde  1 real val 4,20 moedas locais. Então isso associado a barraquinhas de tacos na feira que vende um combo quatro tacos por cerca de $ 10 pesos, consideramos que a festa da gula estava feita, né?  Eu e o Rafa adoramos comidas de rua, porém, temos um acordo de comer apenas comidas quentes. Foi a forma que encontramos de proteger nosso organismo de possíveis problemas do trato intestinal e minimizar riscos.

Massss ele não se aguenta né… e um belo dia que saiu sozinho comeu uma torta (sanduíche) de rua que provavelmente tinha maionese. Havíamos nos mudado de novo de acomodação, um dia antes da véspera de Natal, e foi quando ele cometeu esse deslize alimentar. No outro dia já começaram os sintomas: muita diarreia, febre, dores abdominais. Por sorte estávamos na casa de um médico, que nos deu o apoio necessário, evitando ter que ir ao hospital. Mas foram 7 dias sofrendo o efeito dos sintomas e acompanhando o quadro até a total recuperação. 

Instagram: @blogdestinomundo

Dica: Procure manter o equilíbrio na alimentação mesmo viajando. Pode comer nas barraquinhas de rua sim, pois faz parte da experiência, mas evite comidas cruas que podem trazer problemas mais sérios. Absolutamente ninguém escapa de ter uma diarreia em viagem, mas vamos manter um certo cuidado para que não seja recorrente. A água também é um item importante. No Canadá e nos Estados Unidos você pode tomar agua da torneira sem problemas. No México é um pouco mais delicado, não são todos os lugares que tem água tratada. É bom se certificar antes com os moradores locais. 

A lista está grande? A gente vai te ensinando como evitar perrengues de viagem em cidades grandes?

Metrô lotado pode ser um perrengue de viagem

Simplesmente adoramos poder nos deslocar de metrô por ai, por ter um ótimo custo e dar liberdade para conhecer muitos locais da cidade usando o transporte local. É uma ótima forma de sentir como as cidades funcionam e avaliar se o transporte público daquele local é eficiente. 

Na cidade do México existem atualmente 12 linhas de metrô que passam por 163 estações com 200 quilômetros mais ou menos. Você pode cruzar a cidade praticamente de ponta a ponta com elas. As linhas levam cerca de 5 milhões de pessoas todos os dias. E com esse monte de gente é bem comum que os trens viagem abarrotados principalmente nos horários de pico.

Uma coisa chocante foi ver que existem vagões específicos para mulheres e crianças até 12 anos. Uma campanha do governo por conta do número de abusos vivenciados por mulheres no transporte público. Não consigo avaliar se isso é bom ou não. Também não me cabe fazer isso. Que bom que tem esse cuidado, mas concordam que o melhor seria que não fosse necessário ter que separar?… Infelizmente esse é um ponto cultural muito forte que observamos aqui, muitas campanhas publicitárias em prol da liberdade da mulher.

Fico pensando como não era antes disso. Como mulher acompanhada, viajei no vagão misto, muito cheio, na sua grande maioria masculina, e no tempo em que estivemos lá não me senti incomodada e não tive nenhuma situação onde me faltaram com o respeito. Nossa única sensação de desconforto foi em relação ao grande número de pessoas o que pode gerar um empurra-empurra nos horários de pico e nas estações mais intermodais como a Pantitlan. Mantemos distância desses trechos e horários e sempre que necessário esperávamos  do lado de fora até acalmar o movimento para pode viajar em trens um pouco menos lotados. 

Instagram: @blogdestinomundo

Dica: Cuide da sua mochila nos trechos muitos lotados. Nós vacilamos e esquecemos de colocar para a frente e tivemos a sensação de alguém ter aberto a mochila em uma dessas viagens. Depois descobrimos que foi apenas o empurra-empurra e não um furto como havíamos pensado. Existem muitos relatos de furtos em metrôs no mundo todo, então não vamos dar chance para o azar né! 

Siga seu instinto e tenha muita atenção

Sempre que deixar algo no locker do hostel tire uma foto da organização das suas coisas antes de sair para passear. E se possível tenha seu próprio cadeado. Se o locker tiver apenas chave não confie em deixar coisas de valor nele e leve consigo. Em hipótese alguma deixe dinheiro ou documentos. Nós tivemos uma dor de cabeça enorme em um hostel onde arrombaram nosso locker, reviraram nossas coisas e furtaram um dos nossos notebooks.

O hostel era chique e caro. Fomos a trabalho, convidados a ficar três noites para desfrutarmos das instalações e compartilhar nossa experiência por lá (e olha que não ficamos nem a primeira). O locker deixava muito a desejar e era pago a parte. Era o primeiro em que não podíamos usar nosso próprio cadeado (temos dois com senha).

Nos deram a chave e ajeitamos nossas coisas mais importantes, as mochilas pequenas com notebook, câmeras, HDs. Era domingo à noite. Saímos depois do jantar para caminhar em uma feira de rua ali perto. Não demoramos e quando voltamos nos deparamos com o locker entreaberto e bagunçado. Foi uma dor de cabeça bem grande.

Então fique ligado nas condições do locker e se sentir desconfortável não deixe suas coisas nele, confie nos seus instintos. Se o pior acontecer como houve com a gente, ligue para a embaixada do Brasil no país onde você estiver e peça orientação sobre como proceder.

Nós ligamos e nos orientaram a chamar a polícia e explicar tudo o que houve, porém disseram que seria impossível localizar e recuperar, e que deveríamos tentar um reembolso dos prejuízos com o dono do hostel. A polícia nos atendeu bem, mas não pode fazer nada porque o dono do hostel demorou demais para entrar em contato. Nunca aceite esperar num caso como este. Peça para tomarem as medidas imediatamente. Tivemos sorte que ele escolheu apenas um para levar. O prejuízo poderia ter sido bem maior. 

Por fim, dois dias depois o notebook apareceu no hostel e nos ligaram para buscar. Parece que um hóspede encontrou dentro de sua mala. Nunca saberemos a verdade. Mas fica o aprendizado para redobrar a atenção com todos os nossos pertences. 

Espero que essas dicas possam ajudar vocês a evitarem esse tipo de situação. Por mais que planejamos, não temos o controle sobre todas as coisas, então esteja preparado para passar por uns perrengues de vez em quando e não desanime, tudo faz parte de um aprendizado maior! Aproveite as dicas e bora viajar desbravar esse mundão! Safe travels! 


Conteúdos Relacionados


3 comentários

  1. Pingback: Quais os maiores hotéis do mundo Viajar é Vida!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*