Viagem barata e segura. Confira novas dicas para carimbar seu passaporte

Mais um post da nossa série Viagem barata e segura. Confira novas dicas para carimbar seu passaporte”. O tema da vez é o seguro-viagem. Pode parecer ser mais um custo, mas o seguro viagem é imprescindível. Pense nele como uma parte importante do seu planejamento/investimento, no mesmo nível das passagens ou da hospedagem. Sim, quando você programa uma viagem, sempre espera se divertir e aproveitar ao máximo todos os momentos. Mas é importante ter em mente que imprevistos sempre podem acontecer e é preciso estar precavido. Muitas vezes, quando essas situações inesperadas surgem, algumas pessoas acabam até mesmo voltando antes do previsto ou tendo problemas durante todo o período. A dica é, então, contratar um serviço de seguro viagem.

Cada país tem um diferente sistema de saúde, nem sempre a mala chega no mesmo dia que você (elas são despachadas sozinhas, lembra?)… Ninguém está livre de virar um pé num passeio pelos arredores da Torre Eiffel ou de tropeçar e cair de joelhos no chão enquanto desembarca de uma excursão em Cuzco.

O seguro viagem é uma garantia para amparo em eventuais transtornos e situações inesperadas, que podem acontecer com as pessoas durante uma trip.  Além das obrigações já conhecidas, como oferecer proteção em casos de morte acidental e invalidez, o serviço também traz outras garantias, tanto para quem viaja sozinho, com a família, grupo de amigos ou a trabalho.

Cada seguro viagem tem uma cobertura diferente. Fique atento

É possível ter proteção em diversos casos como assistência médica internacional, auxílio medicamento, translado médico e/ou de corpo, retorno do segurado em caso de sinistro na sua residência, reembolso para extravio de bagagens, pagamento do deslocamento e permanência de um acompanhante em caso de internação do segurado, remarcação de passagem para regresso do segurado e acompanhante.

Via de regra, a contratação é individual. Ou seja, você precisa contratar nominalmente. Mas em caso de viagens com parentes e amigos, consegue fechar um pacote que melhora o valor. Pode se contratar um seguro para uma viagem a partir de 50 quilômetros da residência. Há locais que exigem a apresentação do seguro na entrada, é o caso dos países que fazem parte do Tratado de Schengen, que inclui a União Europeia, Islândia, Noruega e Suíça. Eles permitem a livre circulação entre os países membros, mas obrigam a contratação de um seguro viagem com cobertura mínima de 30 mil euros. Além disso, fora do Tratado de Schengen, há outros países que exigem, como Cuba e Venezuela.

Viagem barata e segura. Confira novas dicas para carimbar seu passaporte

Só se contrata seguro viagem com a data da viagem definida

O serviço pode ser contrato até três dias antes da partida. E não é interessante muita antecedência, pela possibilidade de variação do câmbio. Os valores variam de acordo com o destino, cobertura a ser contratada e a quantidade de dias. A idade pode influenciar apenas quando o passageiro tem mais de 70 anos.

Vale ressaltar que ao acionar o seguro, a resolução do problema costuma ocorrer em poucas horas, no mesmo dia. É similar à assistência 24 horas de outros tipos de seguro. E além do acionamento do seguro viagem, é possível pedir reembolso. No caso de despesas médicas no exterior, por exemplo, o segurado pode pagar as despesas, guardar as notas fiscais e solicitar reembolso depois.

Esteja esperto ainda que algumas empresas de cartão de crédito oferecem benefícios, como o seguro específico para a bagagem. É preciso acionar antes da viagem. Consulte sua operadora e garanta sua viagem barata e segura. Confira novas dicas para carimbar seu passaporte.

 “Carro, trem, avião e até bicicleta. Não importa o meio, para mim o importante é o percurso. E, se for em boa companhia, pode ir logo carimbando esse passaporte”, Sabini Roncaglio, jornalista

Outra pergunta que sempre surge: o que levar na mala?

Está chegando o grande dia. Em breve você embarcará para o destino dos sonhos, pronto para conhecer, aprender, desfrutar e se divertir. Mas você se lembrou de um detalhe importante? Como organizou a mala?

Primeiro passo é entender qual é a estação do ano no local que será visitado. Inverno exige roupas pesadas, ao contrário do Verão que necessita de roupa de banho (mesmo que você não vá para a praia). Esta pesquisa é primordial para você saber o que levar. Depois disso, os smartphones atuais mantêm os aplicativos de clima mundo afora. Comece a consulta com um mês de antecedência e você já saberá a quantas anda a temperatura e se chove ou não na cidade que você viajará.

Feito isso, uma semana antes, comece a separar as roupas. Abra seu armário e verifique o que você levaria. Eu faço isso com esta antecedência porque pode acontecer de uma calça super confortável estar para lavar. Ou aquele tênis bacana estar precisando de um pequeno reparo. Desta forma, você evita contratempos de última hora.

Dicas importantes do que carregar na mala de mão

Quantos dias você ficará fora? Se for calor, leve o mesmo número de camisetas/blusa e duas outras extras para qualquer eventualidade. A mesma regra vale para roupa íntima. Sempre, eu disse sempre mesmo, tenha um moletom ou casaco na mala. Mesmo que vá para um lugar que a temperatura média tenha sido de 40 graus nas últimas semanas.

A natureza é implacável e pode acontecer de a temperatura cair. Ou você precisar se esquentar no ar-condicionado gelado do avião. Calça jeans também é item indispensável. Leve tanto para lugares quentes quanto para lugares frios.

Para acondicionar tudo na mala, eu recomendo os separadores. São peças de plástico molinho de diferentes tamanhos com zíper para você dividir as roupas. Utilizo uma só com camisetas, outra com bermudas, mais uma com cuecas e meias. Tem aquela para calça e jaqueta e uma separada, vazia, para colocar roupas sujas. Essas divisórias são a invenção do século. Além de a mala ficar arrumada sempre, você pode abrir no meio do saguão por um motivo qualquer que não vai passar vergonha.

Contratempos ocorrem, mas nada que prejudique a viagem

O único contratempo que tive com os organizadores de mala foi no aeroporto de Tel Aviv, quando voltava de lá para o Brasil. Como é rígido o esquema de segurança em Israel, eles revistam toda a mala. No meu caso, solicitaram para abrir cada peça, colocando as roupas para fora, para verificarem se não havia nada que pudesse comprometer o voo. Mas é regra, leva tempo e, quem precisar ir para lá, já sabe!

Para os itens de higiene, melhor é levar em porções fracionadas. As farmácias e até lojas de R$ 1,99 vendem os frascos que têm a medida correta para uma viagem curta. Vale levar porque, caso você chegue durante a madrugada, cansado e sem farmácia ou mercado aberto, pelo menos poderá tomar um banho relaxante. Nos dias seguintes você adquire o que faltar. Para carregar isso tudo, mesmo dentro da nécessaire, eu coloco tudo num saco plástico. Se virar, fica mais fácil de limpar.

Minha sócia, Ana Paula Ruschel, leu este material antes da publicação e contribuiu com duas dicas que aprendeu na marra:

1)  Viaje sempre com uma muda de roupa íntima e uma roupa limpa na bagagem de mão. Caso a mala seja extraviada, você tem ao menos como se trocar. E caso perceba que a mala foi violada, reclame ainda dentro do aeroporto. Se sair, perde seus direitos;

2)  Ao montar a mala, fotografe todas as “camadas de roupa”, assim você tem a prova de como sua mala saiu e como ela chegou. Esta sugestão é de uma amiga advogada.

E você, quais as suas dicas de acordo com a sua experiência? Ajude a tornar este conteúdo mais eficiente. Você também pode ser autor da série “Viagem barata e segura. Confira novas dicas para carimbar seu passaporte”.


Conteúdos Relacionados


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*