Prepare-se para viajar barato com estas dicas

Mais um post da série “Prepare-se para viajar barato com estas dicas”. Hoje vamos falar sobre a hospedagem barata. Compradas as passagens, chega a hora de escolher o meio de hospedagem. Novamente a internet é a grande aliada neste momento. Há sites e aplicativos específicos para esta reserva, como o Ebooking, o Hoteis.com e o Trivago. Estes três são exemplos para reservas em hotéis. Se optar por hostels, que geralmente (mas não é regra) são mais baratos tendo em vista que você divide quartos com desconhecidos, mas tem as vantagens de se enturmar em uma viagem que vá sozinho, destaque para o Hostels.com, o HostelBookers e o HostelWorld.

Dois fatos importantes: há quartos e banheiros privativos em alguns hostels, você só precisa avaliar se o valor compensa. E alguns destes locais têm regras de idades, podendo ser somente para pessoas até 35 anos, como em dois da Europa que pesquisei e acabei tendo que mudar a reserva. Observe sempre as regras.

Sydney, Austrália

 “Para mim uma das melhores sensações do mundo é aquele friozinho na barriga que antecede uma viagem. O prazer e a expectativa de conhecer o desconhecido, de mergulhar em experiências que com certeza afetarão você de alguma maneira, aprender algo novo e valorizar pequenas coisas, fazer novas amizades, abrir a cabeça para novas ideias. É muito libertador poder se entregar para novas descobertas”, Patrícia Wippel, jornalista/publicitária

Comunidades digitais ajudam na escolha da melhor hospedagem

Quem gosta de sentir a sensação que tem um morador das cidades em que sonha conhecer tem a possibilidade de alugar um quarto ou mesmo um apartamento inteiro pelos aplicativos como o AirBnb, o House Trip e o HomeAway. Pelo AirBnb eu tenho vasta experiência: Rio de Janeiro, Nova York, Israel, Cape Town, Johanesburgo, Nova York…

Reforço a importância de você ler com calma a descrição do meio de hospedagem, olhar bem as fotos apresentadas e ficar atento às recomendações de quem já passou por lá. Em Nova York eu deixei passar (ou entendi errado) a frase que dizia: “Faça parte da nossa família”. Para mim, era porque eu passaria a ser integrante da casa já que tinha alugado um quarto.

Cabo da Boa Esperança, África do Sul

Entretanto era uma comunidade Hare Krishna e fazer parte da família era vivenciar esta experiência espiritual com eles. Confesso que espremi os limões, fiz uma limonada e acabei adorando os benefícios e as regras do endereço que escolhi para ficar uma semana em território nova-iorquino. No fim, são histórias de viagem para contar.

Tem gente que cede o sofá como hospedagem barata e até gratuita

Não tenho experiência nestas formas de hospedagem que vou citar a seguir, mas conheço pessoas que já experimentaram. Eu optei por não utilizar este formato por uma questão de perfil. Mas, quem é mais descolado, pode utilizar o Couchsurfing (“surfando por sofás”), para pagar mais barato ou até ter de graça o espaço num sofá de algum estranho pelo mundo. Basta criar o perfil na rede social e interagir.

Outra dica bem interessante é manter contato e fazer amizade com outros “viajões”. Pessoas no mesmo ritmo, além de sonhar junto, poderão viajar junto. E dividir despesas. A hospedagem que custaria muito para uma pessoa sozinha pode ser reduzida pela metade, um terço ou até um quarto se encontrar amigos que estão na mesma vibração. O maior ajuste aqui será a combinação das datas, já que nem todo mundo tem flexibilidade para escolher as férias. Mas tem os feriadões e a chance de ir treinando em destinos mais próximos. Este teste também é muito importante, já que todos poderão confirmar se o desejo de viajar é maior do que os perrengues (e como agir diante deles) de trips em turmas.

Bangkok, Tailândia

Internet é companheira de viagem, do planejamento à execução

Você já percebeu que a internet é outra grande companheira para quem quer viajar. Do planejamento ao destino final, ela está sempre junto. Seja para comprar passagens, para ler sobre o roteiro, para rodar um mapa online ou para postar fotos nas redes sociais. A invenção do milênio, no entanto, exige algumas regrinhas, principalmente nos passos iniciais, para fazer a compra das passagens.  Este é mais um passo importante na nossa série “Prepare-se para viajar barato com estas dicas”.

Como os buscadores guardam as informações, eles sabem do seu desejo de conhecer a Europa se você já pesquisou no Google sobre o assunto. Não à toa, você não para de receber anúncios sobre as palavras que digitou. Por isso, utilize janelas anônimas para fazer buscas e finalizar a compra dos bilhetes aéreos. Com isso, você impede o sistema de reconhecer procuras anteriores e assegura melhores preços. Caso deixe de fazer isso, é como se estivesse mostrando sua incontrolável vontade de viajar. E decisões, assim, meu caro viajante, ocorrem de maneira impensada.

Outra informação importante obtida graças ao estudo de 13,2 bilhões de preços que envolvem as 100 rotas mais populares do site momondo. As passagens mais baratas são encontradas 56 dias antes do embarque, podendo ficar até 28% mais em conta. Terças-feiras são os dias melhores para iniciar uma viagem, porque é quando os preços também estão mais baixos. Evite embarcar num sábado, que são os dias mais caros. E se conseguir optar, nos voos noturnos também consegue economizar.

Lembre-se sempre de comprar pelos sites ou aplicativos que já citamos anteriormente. Na dúvida, consulte o Reclame Aqui para conhecer a reputação do endereço virtual/empresa. Também atualize e confira se o seu antivírus está em ordem antes de fazer a movimentação. 

Jericó, Israel

Tem solução digital para tudo quando o assunto é viagem

Pra quem tem a vida totalmente conectada, o percurso da viagem, com as intermináveis horas de espera nos aeroportos pode ser um complicador. Nem todo terminal oferece internet gratuita ou redes Wifis de qualidade. Mas um cara inteligente encontrou uma saída para tentar solucionar este problema.

O engenheiro de segurança informática Anil Polat mapeou 130 aeroportos com suas redes wireless fechadas e suas respectivas senhas. Isso mesmo! Ele conta os detalhes necessários para se conectar as redes. Segundo ele, é muito simples de usar. Você só precisa clicar em um aeroporto específico e as informações sobre as conexões disponíveis aparecem como num passe de mágica.

Bangkok, Tailândia

A atualização é feita com bastante regularidade em diferentes partes do mundo. Se você pensou “como ter acesso ao mapa na internet se estou sem conexão?”, a resposta é simples. Ele montou um aplicativo para ser usado na versão off-line. Esta versão custa U$ 1,99. Um notícia digna de estar aqui na nossa série “Prepare-se para viajar barato com estas dicas” ? (  ) sim (  ) com certeza.


Conteúdos Relacionados


Um comentário

  1. Pingback: Quais os melhores equipamentos para registro da viagem

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*