Uma noite no aeroporto

Por Luciana da Cunha

Quem costuma viajar já pegou ou ainda vai pegar um chá de aeroporto. Seja por atrasos, cancelamentos, conexões longas ou para economizar na viagem, passar horas aguardando o voo não é uma das experiências mais agradáveis, principalmente quando isso significa pernoitar no aeroporto. Em minhas viagens percebi que, além de ser super comum, esta prática é adotada voluntariamente pela maioria das pessoas. O motivo? Companhias de baixo custo.

Com muita pesquisa e boa vontade você consegue voos muito mais baratos do que qualquer outro meio de transporte, até mesmo em próximo a datas comemorativas (consegui um Ryanair ida e volta para passar o ano novo em Londres por € 29 – cerca de R$ 80 na época). Mas lembra aquela história do barato que sai caro? É bem por aí. Empresas como a Ryanair têm tarifas baratíssimas, mas isso implica em horários de voo bem fora do convencional e aeroportos longe dos grandes centros.

Foi assim que fui parar no meu primeiro pernoite voluntário no Aeroporto de Luton. O meu voo de volta saía às 6h, mas o primeiro Easybus (ônibus que leva passageiros de Londres para Luton) não chegaria a tempo do embarque. Como a maioria dos hotéis próximos a aeroportos costumam ser caríssimos (pelo menos do ponto de vista de alguém que costuma ficar em hostels), a solução foi acampar em uma poltrona da Starbucks dentro do próprio aeroporto.
Encarei a experiência outras duas vezes até agora (novamente em Luton e no Aeroporto de Charleroi, voltando de Bruxelas) e recomendo com algumas ressalvas. Lembra daquele filme O Terminal? É por aí, só que você tem mais 100 pessoas na mesma situação, por isso, é bom ficar alerta. Os seguranças destes aeroportos não se importam com pessoas dormindo em qualquer lugar, mas por volta das 4h30 há um “toque de acordar”, para que o saguão não pareça um campo de refugiados quando eles abrirem as portas. Chega a ser até fofo, em Charleroi eles passavam dizendo bonjour, super educados.

Mas não é porque as minhas experiências foram boas que isso irá se repetir em todos os lugares. Pra quem também quiser encarar uma noite dessas, eu recomendo o Sleeping in Airports, um site que já tem 18 anos e reúne dicas e experiências de viajantes em aeroportos de todo o mundo. O material do site é bem completo e foi muito útil, mas se o seu domínio inglês não é dos melhores, destaco aqui algumas dicas essenciais para os hóspedes em trânsito:

Pesquise: procure saber tudo sobre o aeroporto em que você quer passar a noite. Nem todos ficam abertos durante a noite e eles não têm pena de deixar o pessoal trancado do lado de fora no frio. Saber sobre o funcionamento noturno de restaurantes e lanchonetes também é importante. Em Luton, a Starbucks funcionava durante toda a noite, em Charleroi é bem levar um lanchinho.

Tenha algum dinheiro: em alguns aeroportos há cobrança para uso do banheiro, então andar com alguns trocados é sempre bom. Nos maiores, há lounges e cabines específicas para quem quer um pouco de conforto. Normalmente o preço é cobrado por hora.

Chegue cedo: você nunca será o único a ter a brilhante ideia de economizar e passar a noite no aeroporto. Às vezes 200 pessoas vão dividir espaço com você e isso significa uma batalha pelos melhores assentos.

Vá bem agasalhado: se a sua viagem for no inverno, a dica chega a ser óbvia, mas mesmo no verão é bom levar um bom casaco. Além de ser confortável, você nunca saberá como está o termostato do ar-condicionado. Na pior das hipóteses, você pode enrolar e usar como um mini travesseiro.

Esteja alerta: mesmo que você esteja na cidade mais segura do mundo, nunca é bom bobear. Se você estiver sozinho e não conseguir se manter acordado, mantenha os seus pertences em locais de difícil acesso e use óculos escuros (ninguém saberá se você está de olhos fechados).

Garanta o seu descanso no destino final: não vou mentir, passar a noite em aeroporto é cansativo. Só aguentei porque sabia que no dia seguinte teria o conforto da minha cama e do meu chuveiro. Se você ainda pretende explorar o lugar ou tem algum compromisso no dia da sua viagem, é melhor investir no hotel.


Conteúdos Relacionados


Comments are closed.