Las colores de Valparaíso e la música de Viña del Mar

Por Ricardo Ruas


Ir a Viña del Mar e não fotografar no Relógio das Flores é como nunca ter passado pela charmosa cidade litorânea. Pelo menos é o que defendem os guias. Por ter programado poucos dias no Chile, resolvi mesmo encarar os passeios bem voltados aos turistas. Apesar de gostar mesmo de mochilar, pegar metrô, taxi e fazer minha própria viagem, assumo que os dias em território chileno foram bem aproveitados com a ajuda das excursões. Contratei todas diretamente no hotel.
Até Viña del Mar e Valparaíso, cidades vizinhas, distantes somente nove quilômetros uma da outra, foi cerca de uma hora. Viña é a cidade praiana, um balneário que reúne ricos e famosos no Verão. Já Valparaíso é mais cultural, município que recebe muitos universitários e jovens encantados em viajar com somente uma mochila nas costas e pouco dinheiro.
Cores, pinturas e o azul do Pacífico deixam a cidade ainda mais alegre, apesar dos vários anos de existência e dos terremotos e tsunamis já vividos.  Estudos indicam que os abalos geográficos de grande porte ocorrem a cada 25 anos. O último foi em 2010, então, dá para viajar mais descansado.
Depois de caminhar por Valparaíso, visite os arredores do porto. Ali tem um forte legado histórico, centro de compras, artesanato e passeios de barco. Encare o Pacífico e observe a cidade de outro ângulo.


Dicas
– Algumas ruas lembram o Pelourinho , na Bahia. E mesmo que você nunca tenha ido lá, os guias reforçarão essa informação aos brasileiros.
– Viña del Mar sofreu com um forte terremoto de mais de 8 graus na Escala Richter em 2010. A biblioteca pública, ao lado do local onde é realizado o Festival de Música Internacional, está fechada em reforma após esse sismo.


– Para quem curte música latina, deve se programar para visitar a região durante a realização do festival. Nomes como Rick Martin, Luiz Miguel, Juanes e Marc Antony são figuras fáceis nesse evento, realizado anualmente em fevereiro.


– Pablo Neruda e Gabriela Mistral, dois Nobel de Literatura, são lembrados em vários monumentos da cidade.   


– Em todo o Chile, mesmo nos locais com neve, há muitos cães nas ruas. Alguns não têm donos mesmo, mas são bem tratados pela população. E onde tem cachorro, tem sujeira no chão. Por isso, fique alerta.
– Em Viña del Mar você tem a possibilidade de ver de perto uma das estátuas da Ilha de Páscoa, uma ilha polinésia a quase quatro mil quilômetros da costa, mas pertencente ao Chile.  Também chamados moais, são centenas deles na ilha, datados de milhares de anos atrás. Todos de três a 22 metros de altura. Se tiver a oportunidade, vale a viagem.
– Valparaíso é uma cidade na encosta, em grandes subidas (ou descidas, depende de onde você está localizado). As casas parecem feitas umas sobre as outras.
– Circule pelas ruas de Valparaíso e faça muitas fotos. A cidade se exibe mesmo para os turistas.


No último post sobre o Chile, ainda esta semana, vamos deslizar pela neve.

Conteúdos Relacionados


Comments are closed.