Happy Pride Day

Que Toronto é diversificada, isso já falei muito por aqui. Mas essa liberdade de expressão ficou ainda mais evidente no final de junho, com a realização da Pride Parade, a Parada Gay de Toronto. São 10 dias de uma programação que inclui apresentações de música e dança e muita decoração colorida pelas principais ruas da cidade.
Recebi dias desses na rua um flyer com parte da programação e fui pesquisar. Localizei uma página na internet aí me dei conta do quão grande esse evento é.  No último dia de programação há a parada em si. Claro que fui ver e fiquei super impressionada com o tamanho. Aliás, basta olhar o número de patrocinadores do evento para resumir como a parada é levada a sério.

O domingo estava chuvoso e frio, mas mesmo assim a galera foi até a Rua Bloor acompanhar a parada, que dura horas. Eu me diverti muito e achei tudo muito diferente, das roupas, de algumas ousadias (leia-se nudez) e acima de tudo, da alegria de todos os participantes. Havia gays, simpatizantes, pais de gays, religiosos, amigos de gays, enfim, todo mundo estava lá.
No ano passado mais de um milhão de pessoas participaram do evento. Ah, brasileiros, aqui nada de consumo de bebida alcóolica durante o evento. É proibido beber em vias públicas no Canadá. Separei alguns cliques bem lindos para nosso Passaporte Oficina. Tem mais coisa no Facebook da Oficina das palavras.

Roteiro
Esse post vai continuar colorido, pois o roteiro de hoje é o The Village, um dos redutos gays de Toronto. Fica entre as ruas The Church e Wellesley (linha amarela do metrô). Uma caminhada por lá rende belas imagens já que tudo está colorido, na vibe das cores do arco-íris, símbolo da comunidade LGBT. Até caixas eletrônicos entram na onda. Gostei muito da decoração das lojas e também das placas estilizadas. Certamente eu encontrei muito mais coisa decorada, pois estava na época da parada gay, mas os moradores daqui me garantiram que o The Village é sempre assim, alegre, “gay”.

Tips
– Tudo bem que Toronto é uma cidade aberta ao diferente, mas atenção, isso não significa que você pode sair por aí olhando e se mostrando surpreso com pessoas e estilos diferentes. Be cool, man. Please
– Pelas ruas da cidade estão voluntários de projetos sociais com as mais diferentes propostas. Um deles me chamou a atenção e fui pesquisar na internet. O We Tal Women prega a diminuição de casos de violência contra mulheres. Inspirador.


Conteúdos Relacionados


Comments are closed.